Enquanto quase todo Brasil sofre censura e boicote em tentativas de se incluir diversidade no ensino, a cidade de Niterói é uma das poucas no país onde a semana da diversidade, onde se discute bullying, respeito e sexualidade entre alunos da rede pública, é uma realidade nas escolas.

A cidade também é a única em todo Estado do Rio de Janeiro, e uma das únicas em todo o Brasil, a ter um ambulatório especializado em atender a população trans. Pra se ter ideia, pessoas trans de todo o Estado, e algumas do restante do país, muitas vezes vem até a cidade para ter um atendimento digno e respeitoso na saúde pública.

Também na educação a cidade se destaca, tendo opções de cursinhos oferecidos em iniciativas do Grupo Diversidade Niterói, que já colocou várias pessoas LGBTs – principalmente trans – em situação de vulnerabilidade, na Universidade.

Não que tudo seja perfeito ou deixe de ser uma verdadeira luta para se conseguir implementar estas iniciativas. Mas poucas cidades do Brasil podem se gabar de terem todas estas iniciativas, além de outras (assista no vídeo abaixo).

Mas afinal, como mesmo em meio à onda conservadora da política atual em todo o Brasil, a cidade de Niterói consegue continuar evoluindo em questões progressistas e de direitos humanos?

Descubra no vídeo abaixo, onde o Põe Na Roda mostra a Parada LGBT de Niterói e aproveita pra conversar com representantes e militantes locais sobre os motivos que levaram a cidade a conquistar tanto progresso na dignidade e inclusão da população LGBT mesmo em tempos sombrios.

Avatar
Criador Põe na Roda, canal do youtube de humor e informação LGBT desde 2014, com mais de 100 milhões de visualizações e 800 mil inscritos. Autor do livro "Um Livro Pra Ser Entendido", que desmistifica questões do mundo gay e sobre ser LGBT para todos os públicos. Também foi roteirista de TV (Amor & Sexo, Adnight, CQC, Furo MTV) e colunista (Folha de S. Paulo).