Assumido desde 2018, Beni Falcone contou em entrevista ao Blog do Léo Dias as mudanças que ocorreram após sua saída do armário.

Conhecido pelo seu papel na versão brasileira do sucesso mexicano “Rebelde“, o ator contou que se assumir foi, de certa forma, “rebelde“. Que isso o aproximou da militância LGBTQ e o fez entender que assim poderá ajudar outras pessoas a se aceitarem como são também:

Sair do armário foi algo muito mais profissional, porque na minha vida pessoal eu sempre beijei quem queria. Entendi, muito depois da carreira iniciada, que o ato de ‘sair publicamente do armário’ era meu ato de rebeldia. Eu, enquanto artista, que consigo atrair a atenção para mim, tenho o dever de mostrar que ‘OK’, que cada um é o que é“, disse ele.

Com 35 anos, o ator que também é cantor, comentou sobre os medos que surgiram durante sua saída do armário:

Profissionalmente eu queria ser aceito, emendar trabalhos, então topei o jogo de ficar calado. Evitava sair para lugares gays. Tive medo porque eu queria ser aceito no mercado. A TV é um meio bastante hétero. Ironicamente é feita por gays, mas não admite galãs que sejam gays. Trabalhei também no Disney Channel, um canal voltado para a família, então tratava esse assunto como proibido“, comentou.

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:

Iniciando uma nova fase, Beni Falcone lançara nesta sexta-feira (30) um novo EP intitulado “Animal“.