O documentário “TRANSDOC” aborda as questões sobre diversidade sexual e cidadania da população LGBTI+, com foco nas vivências de travestis e transexuais. 

A produção foi pensada, produzida, escrita e dirigida somente por pessoas trans e tem o objetivo de mostrar o cotidiano desse grupo, como questões relacionadas ao estudo, saúde, empregabilidade, relações familiares e questionamentos pessoais.

Além disso, o documentário foi lançado enquanto parte da programação do mês da visibilidade trans, sendo exibido no sábado (1), com a intenção de ressaltar a importância da data e da individualidade de todos os corpos.

Por possuírem um lugar marginalizado na sociedade, as pessoas trans ocupam uma tradicional função como objetos de estudos, em que outros grupos, geralmente simpatizantes da causa, olham e analizam as narrativas desse grupo. Ao colocar travestis e transexuais nos cargos de criação, a produção também destaca o papel dessas pessoas enquanto produtoras de narrativas e conhecimentos.

O coletivo 086, responsável pela produção, escreveu em em uma publicação nas redes sociais: “Estamos em todo lugar, vocês que insistem em nos invisibilizar! Um dos pontos abordados no TRANSDOC é a empregabilidade da pessoa trans, a quebra de tabus onde só podemos ocupar cargos informais e principalmente que podemos ser o que quisermos ser. Professor, Jornalista, Estudante, Produtor Audiovisual, entre outros”.

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:

Foto: Divulgação/ Instagram