Na última quarta-feira (30), Pabllo Vittar lançou a primeira parte do EP “111”, em coletiva na cidade de São Paulo. No encontro com jornalistas, a artista respondeu sobre o que sente em relação a artistas LGBTs ainda serem boicotados em algumas rádios e até em alguns programas de TV.

“É muito triste porque a gente trabalha muito duro e são os nossos sonhos. Você lança um trabalho e isso não é veiculado em grandes playlists, em rádios, em programas de TV porque você é um artista LGBT ? Isso não nos diferencia dos outros, até porque a gente faz um trabalho incrível. Mas o que eu quero que as pessoas saibam é que eu não vou parar. Vou continuar fazendo minhas músicas e realizando os meus sonhos”, iniciou a drag queen mais famosa do Brasil.

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:

Ainda na entrevista, Pabllo foi questionada sobre política e não pestanejou. Segundo ela, nunca vai deixar de se posicionar. “Sempre vou me posicionar porque acho que é o trabalho do artista mesmo. Temos de usar a nossa voz e a nossa visibilidade para assuntos que realmente são relevantes e não só falar de música. Não podemos fechar os olhos para as coisas que vêm acontecendo. E isso em relação a todos os aspectos: segurança, mortes das gatas. Acho que os fãs entendem esse posicionamento e acham importante também, e abraçam as causas”, afirmou.

VEJA TAMBÉM:  Estilista acusa artistas LGBTQI+ de dar calote, entenda o caso

Por fim, a artista falou sobre como tem sido sua recepção no exterior, por ser uma drag queen e cantora. “Lá fora, eu venho sendo bem recebida nos shows. Vou estar no European Music Awards, vou ser headliner de vários festivais no ano que vem. A aceitação tem sido muito boa pra mim, mas acho que vou poder responder melhor a essa pergunta no ano que vem”, finalizou Vittar.