Sexta passada, o diretor e roteirista Ryan Murphy, criador de séries de sucessos como Glee, American Horror Story e American Crime Story, falou em um painel de um evento de críticos de televisão sobre seu novo projeto, a série Pose.

A história deve se passar em Nova York e além de conter o maior elenco transgênero da história da televisão (em variados personagens cis e trans), vai contar a história da cultura LGBT nos anos 80 e 90.

No papo com a plateia, Ryan também revelou que se inspirou em sua própria vida para escrever a cena em que um pai bate no filho que se assume gay. Não é surpresa que Ryan esteja usando suas próprias experiências e traumas para dar realidade à trama de Pose. A série também está sendo escrita por ativistas transgêneros como Lady J e Janet Mock. O ativista transgênero Silas Howard também é produtor co-executivo da obra.

Falando sobre como os direitos e realidade LGBT evoluíram desde que ele era um adolescente nos anos 80, ele afirmou: “Não consigo acreditar no como as coisas mudaram tão radicalmente durante meu tempo de vida. Se você me falasse naquela época que hoje eu poderia me casar e ter filhos como os heterossexuais, eu nunca acreditaria.”

Ryan Murphy é casado com David Miller com quem tem um filho de 5 anos.


Veja também:

Assista também:

Criador Põe na Roda, canal do youtube de humor e informação LGBT desde 2014, com mais de 100 milhões de visualizações e 800 mil inscritos. Autor do livro "Um Livro Pra Ser Entendido", que desmistifica questões do mundo gay e sobre ser LGBT para todos os públicos. Também foi roteirista de TV (Amor & Sexo, Adnight, CQC, Furo MTV) e colunista (Folha de S. Paulo).