Os artistas Benicio Del Toro, Bad Bunny, Ricky Martin, René Pérez, milhares de pessoas exigiram nesta quarta-feira (17) a renúncia do governador de Porto Rico, Ricardo Rosselló, envolvido em escândalos de corrupção.

Cantando “Ricky renuncia” e agitando bandeiras de Porto Rico, os manifestantes se reuniram diante do capitólio de San Juan, pelo quinto dia consecutivo.

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:
Em cima de um trio elétrico, Ricky Martin e René enfatizaram que esses políticos não representam os porto-riquenhos.

“Eles zombaram de 4.600 cadáveres, da comunidade LGBT, das mulheres, dos deficientes. Esses líderes não nos representam. Nós não estamos desanimados, mas se nossos líderes são uma merda assim, não podemos cair nessa. Deus te abençoe. Obrigado por estar aqui conosco”, disse Ricky Martin.

Martin é um dos citados no escandâlo das mensagens vazadas do Telegram.

No material divulgado há referências vulgares à sexualidade do cantor que foram feitas por Christian Sobrino Vega, que era o fiscal chefe de Porto Rico na época, e representante de Rosselló no conselho federal responsável pela gestão da crise financeira de Porto Rico. O vazamento ocorreu depois que o FBI prendeu dois ex-altos funcionários de Rosselló por acusações de fraude.

VEJA TAMBÉM:  Ricky Martin é indicado ao Emmy por Assassination of Versace; veja os indicados

“Estamos cansados do cinismo. Eles puseram as mulheres para baixo, derrubaram a comunidade LGBT, pessoas com deficiência”, disse Martin em seu Instagram. “Corrupção, é insano. Estamos cansados, não aguentamos mais. Porto Rico sofreu o suficiente e é bastante bárbaro o que ele está fazendo. Estamos cansados e com raiva.”

View this post on Instagram

#rickyrenuncia

A post shared by Ricky (@ricky_martin) on

Antes da marcha, Martin explicou que os manifestantes queriam uma mudança de governo. “Não apenas eu, mas muitos porto-riquenhos vão às ruas para demonstrar o que está correto”, disse ele.

A ilha caribenha de Porto Rico é um território dos EUA e os moradores são cidadãos americanos, mas não tem a mesma representação no Congresso que os estados. Os protestos devem continuar até que o governador renuncie.