Pornô Anos 80, produzido e estrelado pelo artista visual Mateus Capelo, está concorrendo no competitiva BR do 28o Mix Brasil com uma leitura sobre “que maneiras nosso desejo encontra pra se tornar possível?”.
Capelo explica: “Especialmente, quando a gente não pode contar, dizer ou compartilhar. Na década de 80, as enciclopédias se tornaram artigos populares. Com elas, vieram livros de anatomia. Quando eu vi a ilustração de um homem nu, num livro de ciências, eu percebi que tinha algo diferente no meu desejo”.
Pornô Anos 80
“Não é à toa essa perseguição em relação aos livros escolares ou mesmo, ao conhecimento. É quase como se acreditassem que, não vendo, não tendo acesso, ninguém vai sentir um afeto “diferente”, completa o artista.

Pornô Anos 80 pode ser visto de graça

O curta pode ser assistido no link do festival. O diretor comenta: “Como a gente inventa maneiras de ser, de poder existir. Outras pessoas me falaram sobre situações semelhantes, como por exemplo, com catálogos de roupa ou propaganda. Me contaram que, quando criança, ao ganhar uma cueca nova, a pessoa não abriu a embalagem pra poder guardar a foto (e assim justificar o ato)”.
Pornô Anos 80 fala sobre a questão do corpo, do nu: o quanto um discurso sobre o outro, tem muito de quem pronuncia. Vale a pena conferir.