Em entrevista recente à revista GQ, o eterno beatle Paul McCartney revelou que já rolou uma broderagem no sigilo com pelo menos um de seus companheiros de banda.

“Eu estava na casa do John e era um grupo pequeno. Ao invés de ficarmos bêbados e dar uma festa, eu nem sei se íamos passar a noite lá ou algo assim, nós estávamos sentados nessas cadeiras e as luzes estavam apagadas e alguém começou a se masturbar, então todos fizemos o mesmo”, revelou.

John Lenon e Paul McCartney.

Conforme o relato de Paul, ele John e os outros começaram a brincar, gritando nomes de mulheres como “Brigitte Bardot” como “estímulo” para os outros. A “brincadeira” encerrou quando John Lennon gritou o nome de Winston Churchill.

Se era um hábito? Ao que o cantor disse, parece que não. “Foi uma vez ou duas talvez… Não tinha nada de mais. É o tipo de coisa que você não pensa muito, coisa de amigos juntos. Tem tanta coisa que você faz quando jovem e depois pensa ‘Nossa, eu fiz isso?’. Uma diversão inocente, sem machucar ninguém. Nem a Brigitte Bardot”, finalizou o assunto brincando.

Aquela coisa, né gente? Uma broderagem no sigilo, quem nunca?

Assista também:

Criador Põe na Roda, canal do youtube de humor e informação LGBT desde 2014, com mais de 100 milhões de visualizações e 800 mil inscritos. Autor do livro "Um Livro Pra Ser Entendido", que desmistifica questões do mundo gay e sobre ser LGBT para todos os públicos. Também foi roteirista de TV (Amor & Sexo, Adnight, CQC, Furo MTV) e colunista (Folha de S. Paulo).