O vocalista da Imagine Dragons, Dan Reynolds, falou sobre o abuso que recebe de pais homofóbicos pelo seu apoio à comunidade LGBT. Em entrevista à Vulture, o cantor disse que recebeu mensagens de pessoas dizendo que proibiram seus filhos de irem aos seus shows.

Pra quem não conhece a história de Dan Reynolds, ele já serviu como missionário mórmon e freqüentou a Universidade Brigham Young, de propriedade da Igreja, em Provo, Utah. Então se casou e teve três filhos. Ele também começou uma banda, e agora, aos 31 anos, é o vocalista do Imagine Dragons, possivelmente a maior banda de rock do mundo. Muitas estrelas do rock têm passados ​​não tradicionais, mas com Reynolds é diferente: ele está usando sua plataforma como um homem heterossexual muito famoso para defender os direitos LGBTQ.

Alguns dos membros da banda são mórmons e Reynolds relembra a Igreja Mórmon mostrando interesse e convidando-o para eventos de alto nível uma vez. “Meu bispo me disse que a sede havia se aproximado e perguntado: ‘Qual é a posição dele com a igreja?’ Eu acho que eles checam seus famosos mórmons.”

“Eu sabia que haveria pessoas na extrema direita que ficariam chateadas. As pessoas me dizem que não vão permitir que seus filhos vão mais aos meus shows e que quando eu chegar ao céu, Deus vai ficar chateado comigo porque eu ‘tornei’ tantas crianças gays”, disse REYNOLDS.

Como se fosse possível “tornar” alguém gay, como acreditam esses pais em toda sua ignorância e homofobia, né? Mas enfim. Ele continuou: “Também haverá pessoas da extrema esquerda que estão chateadas. Porque, quem diabos sou eu, o cara branco privilegiado? E eu entendo, mas para mim, tenho que falar minha verdade e o que acredito é que, quando se trata de questões como essa, todo mundo tem que fazer a sua parte”, explicou Reynolds sobre sua posição de luta pelos direitos LGBT.

Saúde mental e suicídio entre os jovens LGBT

O músico também falou sobre as altas taxas de saúde mental e suicídio entre os jovens da comunidade LGBT.  Ele disse: “Eu tenho visto tantos danos causados ​​a essas famílias. Eu conheci muitos pais que perderam filhos para o suicídio. Eu tenho muito o que falar sobre isso. Eu quero mudar isso e sei que posso ajudar e fazer essa  mudança acontecer”.

Um estudo de pesquisadores da Universidade do Arizona publicado no início deste ano descobriu que mais da metade (51%) dos adolescentes trans masculinos tentou suicídio no ano passado. Os dados também mostraram que mais de quatro em 10 (42%) dos adolescentes não binários e 30% dos adolescentes femininos trans tentaram o suicídio.

Discurso de igualdade LGBT

No início deste ano, Reynolds fez um discurso apaixonado sobre igualdade, no qual enviou uma mensagem de “amor” e “paz” aos jovens LGBT +. O cantor da banda pop fez os comentários durante uma apresentação no Love Loud Festival na noite de sábado (28 de julho) em Salt Lake City, Utah.


Assista também:


“Você fez isso vindo esta noite de todas as esferas da vida [e] de todos os lados.” Reynolds acrescentou: “Eu espero que você saiba, você é necessário. Nós precisamos de você. Eu não quero ouvir mais histórias de jovens tirando suas vidas em Utah. Nós devemos mudar nossa cultura. Precisamos mudar a maneira como nos vemos”.

Todo dinheiro arrecadado  no  festival foi para instituições de caridade LGBT, incluindo o Projeto Trevor, a Fundação Tegan and Sara e a Encircle. Reynolds fez uma pausa no meio da apresentação, dizendo: “Acabei de ser informado que oficialmente ultrapassamos a nossa meta em mais de US$ 1 milhão de dólares.

LoveLoud 3 e o novo álbum Origins

Com um novo álbum do Imagine Dragons, Origins, lançado a poucos dias, Reynolds não tem planos fazer uma promoção tradicional de álbuns.

“Eu amo a banda. Eu amo fazer música. Eu amo tudo o que Imagine Dragons significa. Mas ele me deu uma plataforma para fazer coisas que eu acho que são muito maiores do que a banda.” Reynolds menciona com entusiasmo que o LoveLoud 3 já está sendo planejado e estabelece uma clara conexão com o Origins, a maioria das músicas foram escritas no ano passado.

“A banda ficou popular com essa música chamada ‘It’s Time’, que foi como ‘Eu nunca vou mudar quem eu sou’, agora eu tenho 31 anos e sou como… hum… talvez você devesse mudar com quem você está. É engraçado agora, nosso quarto álbum, o tema é totalmente encapsulado em uma linha da música “Digital”: “Não queremos mudar só isso, nós queremos mudar tudo”.