‘Poc’ de nascença, o pagodeiro gay João Rosa retrata a vivência de muitos LBGTs em suas músicas. João fala sobre dar as mãos em público e pesa: “De repente você se vê numa situação desconfortável, o separar rápido das mãos de duas pessoas que se gostam”.

Segundo ele, isso é algo muito comum, real e forte, para a imensa maioria as LGBTs em diferentes realidades. Mas, o importante é a música terminar com uma mensagem positiva, pra cima, de superação pessoal e coletiva.

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:

“Isso é muito do que eu quero passar como artista, de que não importa o quanto seja difícil, a mensagem sempre vai ser pra cima. De cruel já basta o mundo.” completa Rosa.

O cantor e compositor observava, respirava e ouvia música desde muito cedo, aos 6 anos de idade. Hoje, o músico tem um sonho feliz: viver profissionalmente da arte do “lêlêlê” – tocar um bom pagode.

VEJA TAMBÉM:  Ludmilla cumpre promessa e lança Numanice, seu EP de pagode

Pagodeiro gay acredita na vivência LGBT para fazer música

“Não sei nem dizer o que me atrai no pagode, é aquela coisa que não tá no meu sangue, mas nasceu dentro de mim. Foi na pandemia que me deu o estalo de trabalhar meu nome e lutar realmente para viver da minha arte”, diz ele.

“Ser gay e pagodeiro é diferente porque só de fazer parte da comunidade LGBT já algo que ‘foge aos padrões’ sociais. Ao mesmo tempo que não tiro o pagode mim, a sexualidade também representa quem mais sou, é por causa dela que minha existência é marcada estruturalmente. É minha vida”, assegura.

Pagodeiro gay

O single de estreia do pagodeiro gay foi lançado em todas as plataformas digitais no dia 04 de dezembro: “Unir os dois mundos do meu coração para mostrar que, no fim das contas, dá pra ser o que bem quiser, tanto gay quanto pagodeiro”, considera.

VEJA TAMBÉM:  Atriz trans de Warrior Nun, da Netflix, se diz feliz por fazer uma personagem cisgênero pela 1ª vez

O single de estreia do pagodeiro gay foi lançado em todas as plataformas digitais no dia 04 de dezembro: “Unir os dois mundos do meu coração para mostrar que, no fim das contas, dá pra ser o que bem quiser, tanto gay quanto pagodeiro”, considera. No youtube, o clipe mostra situações rotineiras na vida de casal.

Para ouvir o single em todas as plataformas digitais, clique aqui. Siga João Rosa nas redes sociais @joaorosamusica