A drag queen Pabllo Vittar respondeu ao ser questionada pela Vogue Brasil, sobre a história de que rádios brasileiras boicotam não apenas suas músicas, mas também toda nova leva de artistas LGBTs nacionais.

A drag queen afirmou que fica triste de saber isso, principalmente pelas mensagens homofóbicas que seus fãs muitas vezes recebem ao pedirem suas músicas nas rádios.

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:

“Fico muito triste com as gatinhas que não tocam nossas músicas, mas mais ainda com as mensagens homofóbicas que meus fãs recebem quando mandam mensagem pedindo música”, disse.

Mesmo assim, a carreira de Pabllo continua indo de vento em popa, recentemente fazendo shows internacionalmente e prestes a lançar seu terceiro álbum.

Sobre o boicote das rádios, é importante lembrar que ainda deste modo, artistas LGBT nunca tiveram tão em evidência e grande número como hoje, como lembrou Pabllo: “Amo que a gente está alcançando espaços que jamais imaginei na minha vida. Eu lá no meu bairro superafeminada e agora ganhando prêmio, indo para festivais”.

VEJA TAMBÉM:  Após ser demitida por chefe homofóbico, policial lésbica vence em eleições para cargo de xerife
Avatar
Criador Põe na Roda, canal do youtube de humor e informação LGBT desde 2014, com mais de 150 milhões de visualizações e 1 milhão de inscritos. Autor do livro "Um Livro Pra Ser Entendido", que desmistifica questões do mundo gay e sobre ser LGBT para todos os públicos. Também foi roteirista de TV (Amor & Sexo, Adnight, CQC, Furo MTV) e colunista (Folha de S. Paulo).