O Facebook não se importa se você é gay, mas uma nova regra da plataforma está forçando usuários a manterem assuntos privados para si mesmos, ou ao manos no chat privado do Facebook Messenger.

Uma nova regra da política da plataforma agora faz com que você falar, por exemplo, se é passivo ou ativo, seja impedido. No lugar do comentário, aparece um aviso afirmando que “a plataforma combate conteúdo que facilite ou encoraje o encontro entre dois adultos com linguagens sexualmente explícitas que podem requerer autorização.”

Posições sexuais, preferências na cama ou qualquer citação que envolva o assunto também podem entrar na lista de vetos.

Outra frase comum, a popular “manda nudes” também prejudicaram usuários.

Um comunicado automático do próprio Facebook explicou a iniciativa:

“Não publique conteúdo que envolva uma solicitação sexual implícita, que possa ser identificada por… usando dicas sexuais, como mencionar papéis sexuais, posições sexuais, cenários fetichistas, preferência sexual / preferência sexual, estado de excitação, ato sexual ou atividade (penetração sexual ou auto-satisfação), geralmente áreas sexualizadas do corpo, como seios, virilha ou nádegas, estado de higiene da genitália ou nádegas. ”

A Internet, que nada perdoa, não perdeu tempo e já xingou muito o Facebook no Twitter.

“Essas novas regras do Facebook são bizarras! Falar sua orientação sexual agora é contra as regras. Foda-se tudo isso! E tudo sobre isso!”, afirmou o internauta acima.

“Facebook mudou as regras da comunidade. Meu grupo fechado de strip agora não pode citar “dança erótica” ou “diversão”, disse um outro usuário.


Assista também:


Outro lembrou de outra rede social, o Tumblr, que também decidiu encaretar:

“Com Tumblr banindo conteúdo adulto e Facebook qualquer conotação sexual de acordo com as novas políticas e o Instagram indo pelo mesmo caminho, o que resta? Google Plus?”, questionou.

Um porta-voz do Facebook defendeu as mudanças, implementadas em outubro, para  PC Mag, afirmando que a mudança foi motivada, em grande parte, por conversas com nossos revisores de conteúdo.

“Estaremos lançando as atas de nossa reunião de desenvolvimento de políticas, na qual essas mudanças serão discutidas e adotadas, e também publicaremos atualizações de nossos Padrões da Comunidade, para que as pessoas possam acompanhar as mudanças ao longo do tempo”, afirmou.

Criador Põe na Roda, canal do youtube de humor e informação LGBT desde 2014, com mais de 100 milhões de visualizações e 800 mil inscritos. Autor do livro "Um Livro Pra Ser Entendido", que desmistifica questões do mundo gay e sobre ser LGBT para todos os públicos. Também foi roteirista de TV (Amor & Sexo, Adnight, CQC, Furo MTV) e colunista (Folha de S. Paulo).