Mais uma produção da Netflix se envolveu em polêmica por mostrar cenas que envolvem a representatividade da comunidade LGBTI+. Dessa vez, a animação “Os 3 Lá Embaixo: Contos de Arcádia” foi alvo de ataques conservadores quando uma mãe afirmou que o desenho não devia possuir indicação livre porque apresentava um beijo lésbico.

Ao site Pleno.News, a mãe, que preferiu permanecer em anonimato, relatou:

“Estava vendo um desenho com meu filho de 4 anos na Netflix, classificado como livre, e teve uma cena de beijo na boca entre duas meninas. (Elas) acham que o mundo vai acabar e decidem se beijar antes que isso aconteça. Achei totalmente inapropriado porque está classificado como livre. Entendo que é uma forma de influenciar comportamento. A mente da criança, semelhante ao corpo, está em formação. Meu filho tem 4 anos. Ele não tem idade suficiente para entender esse tema. Nós somos cristãos e passamos os nossos valores aos nossos filhos. Ele não tem maturidade para assistir esse tipo de cena”.

A cena ocorre no episódio 7, da segunda temporada, e se refere ao beijo entre duas meninas durante uma invasão ao planeta Terra. As jovens pensaram que o mundo ia acabar e que estavam prestes a morrer sem nunca ter beijado. E então, se beijam.

Em nota, a Netflix reafirmou a importância do controle dos pais na escolha dos conteúdos que as crianças assistem, mas que a classificação livre do desenho “está classificado de maneira apropriada”, ainda acrescentando que “os pais devem fazer as escolhas de entretenimento que considerarem adequadas para seus filhos”.

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:

O Ministério da Justiça, responsável pelo Sistema de Classificação Indicativa Brasileira, afirmou que a classificação indicativa surge em casos de cenas sexuais, com nudez, violência e/ou drogas, além de que “é importante compreender que a política pública da classificação indicativa foi construída, ao longo do tempo, com a adoção de critérios que não admitem qualquer juízo de valor, qualquer diferenciação entre raças, religião, posicionamento político ou orientação sexual”.

Essa matéria foi produzida com informações do site Gazeta do Povo.