Em apenas 10 anos, Lady Gaga se consolidou como uma das estrelas mais importantes da música pop de todos os tempos. O seu catálogo interminável de músicas de sucesso, escolhas ecléticas de moda e performances ao vivo espetaculares tiveram um impacto incomensurável na indústria do entretenimento.

Ao longo de sua carreira a mother monster também ajudou a revitalizar o videoclipe como uma forma de arte, seguindo os passos de pesos pesados como Janet Jackson e Madonna, transformando seu visual em momentos da cultura pop – quem pode esquecer a primeira vez que viu o épico Bad Romance?

Por esses motivos o Gay Times decidiu avaliar e classificar os 10 melhores vídeos de Gaga nos últimos 10 anos. Essa é uma lista polêmica com certeza!

10 – Poker Face (2009)

O Poker Face sempre será uma das músicas mais populares de Gaga, e o videoclipe, sem dúvida, ajudou seu sucesso. É glamouroso e chamativo que estabeleceu o padrão para muitos vídeos futuros da Gaga – coreografia memorável, roupas icônicas, insinuações sexuais e perucas loiras platinadas (incluindo aquele laço de cabelo). É um ótimo videoclipe, embora não ultrapasse os limites, como o restante dos elementos visuais nesta lista.

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:

9 – Born This Way (2011)

Gaga passou sua carreira como uma voz para as pessoas queer principalmente, e Born This Way é em um dos maiores hinos LGBT de todos os tempos. A letra “Não importa se é heterossexual ou bi, lésbica, trans, estou no caminho certo, baby, nasci para sobreviver” ajudou uma geração de adolescentes queer a celebrar quem são, enquanto o vídeo a vê dar à luz uma nova raça extraterrestre que “não tem preconceito, julgamento ou liberdade ilimitada” – há até um unicórnio, apenas para o caso de o assunto não estar suficientemente claro. O vídeo nem sempre faz sentido, mas, na verdade, não precisa.

8 – Applause (2013)

Gaga iniciou sua campanha polarizadora de ARTPOP, canalizando o mantra “meu ARTPOP poderia significar qualquer coisa” no videoclipe de Applause, canalizando tudo, desde Cisne Negro até O nascimento de Vênus, de Botticelli. Após a era mais sombria e séria de Born This Way, foi revigorante ver Gaga retornar com uma explosão de cores (literalmente). Ajudou o fato de a música ser um “banger” absoluto também. Mais tarde, ela recriou o vídeo no Video Music Awards de 2013 com cinco incríveis mudanças de figurino, solidificando seu lugar no panteão da cultura pop.

7 – John Wayne (2017)

O álbum pop-country Joanne, fez muitos fãs ficaram preocupados com o fato de os videoclipes coloridos e inovadores pelos quais Gaga se tornou conhecida terem desaparecido para sempre. Então, do nada, ela lançou esse visual deslumbrante de John Wayne, tornando-se um de seus vídeos mais estranhos até hoje. Ele apresenta todos os itens de um excelente vídeo da Gaga: coreografia, moda de alta costura e botas de metralhadora. Obviamente. É uma jóia subestimada que merece muito mais atenção.

6 – Paparazzi (2009)

Enquanto a impressionante Bad Romance é visto por muitos como o início da carreira de Gaga como um campeão da forma de arte do videoclipe, Paparazzi continua sendo um dos seus melhores vídeos e é frequentemente esquecido. Claro, Just Dance e Poker Face eram visualmente interessantes, mas essa foi a primeira vez que Gaga se exibiu como mais do que apenas outra garota pop glamourosa. Tanto a música quanto o vídeo resumiram a obsessão de seu álbum de estréia pela fama, mas se destacaram por terem um tom mais sombrio e por conterem mais significado do que o resto do conteúdo da época. Quantas estrelas pop podem dizer que lançaram um vídeo tão épico quanto este em seu álbum de estréia? Não muitos. Além disso, o vídeo apresenta Alexander Skarsgård. Precisamos dizer mais?

5 – Judas (2011)

Com o sucesso do filme “A Star Is Born” e um álbum country-pop relativamente manso, é estranhamente fácil esquecer que Gaga já foi uma das estrelas pop mais controversas do mundo – e as coisas não são mais controversas do que em Judas . Gaga assumiu o papel de Maria Madalena no épico bíblico, que também viu Norman Reedus, de The Walking Dead, interpretar Judas. Foi lançado logo após o domingo de Páscoa, enfrentando reações de organizações religiosas. Quando questionado sobre a controvérsia, Gaga respondeu: “A única coisa controversa sobre este vídeo é que estou usando Christian Lacroix e Chanel no mesmo quadro”. Icônico.

4 – Marry The Night (2011)

Gaga sempre canalizou sua vida pessoal em seus videoclipes, geralmente através de simbolismos e metáforas, mas Marry The Night é o seu vídeo mais brutalmente honesto até agora. É um épico autobiográfico de 14 minutos com uma pitada de fantasia, como ela explica no monólogo de abertura do vídeo. “Quando olho para a minha vida, não é que eu não queira ver as coisas exatamente como elas aconteceram, é só que prefiro lembrá-las de uma maneira artística”, diz ela ao ser levada para dentro de uma clínica. O vídeo conta a história do “pior dia da sua vida” – quando ela foi abandonada pela sua primeira gravadora – e o colapso e o retorno que resultaram.

3 – G.U.Y. (2014)

Ao contrário do que muitos fãs de música pop acreditam, o ARTPOP foi um álbum fantástico. Embora nunca tenha atingido o potencial que merecia, tanto crítica quanto comercialmente, recebeu uma incrível despedida com um videoclipe final para não uma, não duas, mas três faixas favoritas dos fãs do álbum. O épico auto-dirigido começa com a faixa-título do álbum, ARTPOP, quando Gaga é traída e deixada para morrer por homens famintos por dinheiro de terno, definitivamente um aceno para os problemas que ela enfrentou em sua carreira.

Enquanto a maravilhosa Venus continua tocando, a cantora é restaurada à sua antiga glória pelo The Gays ™ e por uma seleção de Real Housewives. Então entra em ação no evento principal, G.U.Y., enquanto Gaga caminha pela mansão de Versace, ressuscita Michael Jackson e Jesus e acaba voltando ao topo onde ela pertence. O MANiCURE ainda recebe um aceno de cabeça nos créditos finais do vídeo, que são impressionantes quatro minutos por causa do puro espetáculo.

2 – Bad Romance (2009)

Bad Romance é o videoclipe mais influente do século XXI. Isso não é uma opinião, é um fato. O visual lendário era uma representação da maneira pela qual a indústria do entretenimento trata suas estrelas – particularmente suas mulheres – de uma maneira transportadora, vendo-as apenas como uma mercadoria ou um objeto sexual a ser vendido. Levou para casa sete Video Music Awards e foi inovador para a época, tornando-se o primeiro videoclipe a atingir 200 milhões de visualizações no YouTube e, desde então, recebeu mais de um bilhão de cliques. O vídeo consolidou o status de Gaga como um ícone pop, e foi mais uma prova de seu gênio artístico, pois ela realmente teve que redimensionar o vídeo devido a um pequeno orçamento no projeto – não que alguém pudesse perceber assistindo o vídeo. Bad Romance é comumente referido como “Thriller” (Michael Jackson) de Gaga, e é uma comparação que é mais do que merecida.

1 – Telephone (2010)

Percebemos que essa pode ser uma escolha controversa, mas leia. Embora o Bad Romance seja inegavelmente icônico, a natureza longa e o orçamento gigante de Telephone permitiram ainda mais criatividade e excelência visual do que seus antecessores. Com este clipe dirigido por Jonas Akerlund, Gaga ultrapassou os limites do que um videoclipe pode ser, contando uma história cheia de crimes digna de um filme de Quentin Tarantino (que literalmente mostrava o vagão de Kill Bill) que a viu ser libertada prisão por Beyoncé – você pode imaginar!? – antes de assassinar um amante abusivo e atravessar a fronteira juntos. Thelma e Louise, quem? Ele apresentava alguns de seus looks mais icônicos de todos os tempos e disse algumas das frases mais insanamente citáveis ​​da história da cultura pop (“Você foi uma garota má, Gaga”) e levou a inúmeras ideias dedicadas a desconstruir o visual e suas mensagens subliminares.

Tudo, até a colocação do produto, como Plenty Of Fish e Wonder Bread, simplesmente funciona. Além disso, quantos vídeos de música podem dizer que inspiraram quase uma década de campanha dos fãs para uma sequência? Ainda estamos convencidos de que está chegando. Não nos decepcione, Gaga.

Então… concorda com os escolhidos e os argumentos do pessoal da Gay Times??