Mariah Carey entrou para a lista de celebridades acusadas de assédio sexual e também de calote. Ela foi acusada pelo ex-segurança Michael Anello, que está ameaçando a cantora de processo por assédio sexual. Segundo o site TMZ, ele também afirma, que ela lhe deve dinheiro e que foi humilhado.

No processo, obtido pelo TMZ, consta que a Anello Security & Consulting foi contratada de junho de 2015 a maio de 2017, mas um acordo foi assinado para mais dois anos de serviço. Ele afirma que lhe foi prometido um adicional de US$ 511 mil pelo período extra – acordo que foi, posteriormente, cancelado.

De acordo a publicação,  Anello alega que Mariah o chamava de ‘skinhead nazista’, membro da Ku Klux Klan e supremacista branco” e segundo ele, a cantora preferia estar rodeada de negros na equipe de segurança.


Assista também:


No processo consta, que Mariah conduziu ações de cunho sexual com a intenção de ser notada por Anello durante uma viagem para Cabo San Lucas. A cantora teria solicitado a presença do segurança em seu quarto para mexer em suas bagagens. Quando ele chegou, foi recebido por Mariah vestida com um robe transparente – e aberto. Anello afirma que tentou sair do quarto, mas a cantora insistiu que ele mexesse em suas malas. Ele então conseguiu deixar o local e não houve contato físico.

O TMZ afirma que a equipe de Mariah entrou em contato com o advogado de Anello na segunda-feira (06/11), oferecendo pagamento, mas que o segurança não ficou satisfeito com o valor.

 

VEJA TAMBÉM:

Criador Põe na Roda, canal do youtube de humor e informação LGBT desde 2014, com mais de 100 milhões de visualizações e 800 mil inscritos. Autor do livro "Um Livro Pra Ser Entendido", que desmistifica questões do mundo gay e sobre ser LGBT para todos os públicos. Também foi roteirista de TV (Amor & Sexo, Adnight, CQC, Furo MTV) e colunista (Folha de S. Paulo).