VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:

A cantora Gloria Groove refletiu em seu Twitter sobre um dilema que as premiações musicais vivem atualmente com o recente boom de drag queens cantoras no mercado musical: elas devem concorrer como artista masculino ou feminino nas premiações que (ainda) dividem artistas por gênero?

Bem, com drag queens, a personagem é feminina, mas o criador costuma ser um homem. E aí como fica?

Em uma sequência de 3 tweets, Gloria Groove refletiu e deu sua opinião:

“Meu sonho que comecem a incluir drags do mercado musical nas listas, rankings e indicações nas categorias masculinas! A falta de discernimento leva o público a uma leitura confusa de que drag queens também ocupam tais posições femininas, e a gente precisa falar + sobre isso”, disse ela na primeira mensagem.

E completou questionando em outra: “Se por um lado o que nos destaca de outros homens da indústria é justamente o experimento com expressões de gênero, por outro lado a proposta drag queen é justamente sobre botar em cheque a suposta harmonia que deveria haver entre gênero + orientação + expressão… né?”,.

Então, no tweet seguinte, a drag queen lembrou que “ser drag não é ser mulher”: “Eu não me apresento como mulher. Eu me apresento como Gloria Groove. Cabelo, figurino, maquiagem… nada disso define uma mulher. Drag é sobre isso, e não sobre estarmos todas brincando de catfish”.

Complexo mesmo em um mundo ainda tão binário e dividido por gêneros, né? O que você acha? Comenta aqui embaixo!

E veja abaixo as publicações originais de Gloria no Twitter:

Avatar
Criador Põe na Roda, canal do youtube de humor e informação LGBT desde 2014, com mais de 150 milhões de visualizações e 1 milhão de inscritos. Autor do livro "Um Livro Pra Ser Entendido", que desmistifica questões do mundo gay e sobre ser LGBT para todos os públicos. Também foi roteirista de TV (Amor & Sexo, Adnight, CQC, Furo MTV) e colunista (Folha de S. Paulo).