Em um desabafo em suas rede sociais, a atriz Monica Iozzi contou que um amigo próximo seu foi agredido na rua por um eleitor do presidenciável Jair Bolsonaro.

Ela relatou: “Um amigo meu foi violentamente espancado por um homem que se intitulava apoiador do Jair Bolsonaro. Esse meu amigo está internado, sofreu fraturas, vai ter de passar por cirurgia e deve ficar muito tempo no hospital. Ficou realmente muito machucado”.

Monica lembrou dos mais de 70 casos recentes de agressão nas ruas praticados por pessoas que se dizem apoiadores do presidenciável: “A gente tem visto que essa onda de violência, mas quando chega tão perto de você, que a coisa se torna pessoal, é um baque. (…) A gente está vendo essa onda de violência nesses últimos dias e de pessoas que dizem claramente que estão dizendo aquilo porque apoiam a postura deste candidato. E isso não é fake news.”

Então ela contou enfim o que houve com seu amigo: “Ele estava apenas caminhando na rua, a caminho de casa, com uma sacola com compras do mercado. O homem achou que ele era gay e o espancou. Mas às vezes me esqueço que muita gente tenta culpar a vítima, né,? Sinto pena do senhor…”.

Monica ainda lembrou sobre o perigo que é se dar moral a um presidenciável que pode não ser a pessoa efetivamente praticando essa violência, mas que sempre a incentivou: “Um líder não precisa mandar que alguém maltrate mulheres ou espanque homossexuais, mas o discurso dele dá permissão para que as pessoas façam isso”.

E é bem isso. Como disse a cantora Pitty em um tweet sensacional recente: “Quem ordena a execução não acende a fogueira. Inflamar os ânimos e relativizar preconceito e crimes de ódio é ser cúmplice no incêndio.”

Monica, que nunca teve tem medo de se posicionar politicamente, seja criticando políticos ou até mesmo juízes do STF, justificou sua opção de voto no PT neste segundo turno:

“Voto em Haddad e Manuela [D’Avila] porque eles são melhores que o PT, não porque eu estou sendo paga para isso. Aliás, quem se coloca politicamente perde muito dinheiro. Se eu quisesse mesmo ganhar dinheiro, eu não falaria nada sobre política”, afirmou.

Veja na íntegra o desabafo de Monica postado em seu Facebook:

Assista também:

Criador Põe na Roda, canal do youtube de humor e informação LGBT desde 2014, com mais de 100 milhões de visualizações e 800 mil inscritos. Autor do livro "Um Livro Pra Ser Entendido", que desmistifica questões do mundo gay e sobre ser LGBT para todos os públicos. Também foi roteirista de TV (Amor & Sexo, Adnight, CQC, Furo MTV) e colunista (Folha de S. Paulo).