Matthew McConaughey compartilhou detalhes sobre sua vida em um novo livro de memórias, incluindo ser molestado por um homem quando ele era um adolescente. O ator vencedor do Oscar, de 50 anos, lançou na terça-feira seu livro Greenlights, no qual revela fatos sobre sua vida que nunca havia discutido anteriormente.

No livro, ele escreve: “Fui chantageado para fazer sexo pela primeira vez quando tinha 15 anos. Eu tinha certeza de que iria para o inferno por causa do sexo antes do casamento. Hoje, estou apenas certo de que espero que não seja o caso”.

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:

Ele continuou: “Fui molestado por um homem de 18 anos enquanto estava inconsciente na parte de trás de uma van”. Listando algumas de suas experiências mais incomuns, a estrela do Magic Mike, Matthew, acrescentou: “Eu fiz peiote (um alucinógeno encontrado em desertos) em Catorce, México”.

VEJA TAMBÉM:  Pai obriga filho de 11 anos a transar com madrasta pra que ele "prove que não é gay"

“Eu tive setenta e oito pontos costurados na minha testa por um veterinário. Tive quatro concussões ao cair de quatro árvores, três delas na lua cheia. Eu corri pelado até que os policiais me prendessem. Eu resisti à prisão. Candidatei-me a Duke, UT Austin, Southern Methodist e Grambling para minha educação universitária. Fui aceito em três das quatro.”

“Nunca me senti uma vítima. Tenho muitas provas de que o mundo está conspirando para me fazer feliz”. Matthew, que tem três filhos com a modelo Camila Alves, nunca havia falado sobre o ataque publicamente antes. Ele apoiou o programa Students United for Rape Elimination (SURE WALK) da Universidade do Texas em 2016, onde levou os alunos do campus para casa após o anoitecer para garantir que voltassem com segurança.

Matthew McConaughey sempre foi ligado à causa

Segundo o Metro, a universidade compartilhou uma foto dele dirigindo um carrinho de golfe com alunos, escrevendo: “Longhorns cuidam uns dos outros, e é seguro dizer que Matthew McConaughey concorda”. Matthew também revelou mais detalhes sobre o casamento turbulento de seus pais no livro, revelando que sua mãe e seu pai, que se casaram três vezes e se divorciaram duas vezes – faziam sexo no chão da cozinha no meio de uma discussão.

VEJA TAMBÉM:  “Homossexualidade não tem nada a ver com abuso sexual infantil no Vaticano”, diz arcebispo

O pai de Matthew, James, morreu de ataque cardíaco em 1992 enquanto fazia sexo com a mãe de Matthew, Kay, e ela admitiu que preferia que ele se concentrasse nos momentos “afetuosos” do livro.

Kay disse ao New York Times: ‘Foi um caso de amor muito forte e apaixonado que tivemos, mas gostaria que Matthew McConaughey tivesse contado mais histórias sobre mim e o amor, afeto e compromisso de seu pai um pelo outro’.