Em um breve tweet, a cantora Marília Mendonça se pronunciou sobre o episódio de transfobia ocorrido no último final de semana, quando durante uma live, fez comentários considerados transfóbicos ao debochar de uma mulher trans com sua banda.

“Pessoal, aceito que fui errada e que preciso melhorar. Mil perdões. De todo o coração. Aprenderei com meus erros. Não me justificarei”, disse a cantora sertaneja.

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:

Entre os seguidores LGBTs, as desculpas parecem terem sido aceitas, mas houve diversas sugestões de outras atitudes que a cantora poderia ter para realmente mostrar que reconhece seu erro, ajudando a causa LGBT+.

VEJA TAMBÉM:  Marília Mendonça é ameaçada de morte por Bolsominions por apoio a campanha #EleNao

“Olha, @MariliaMReal , você podia também se redimir apoiando com dinheiro as casas de acolhimento para mulheres trans e travestis. @CasaFlorescer @centrocasaum @casanemcasaviva”, disse o perfil @PurpurinadoX.

Já a influenciadora Alina Durso, do perfil “Diário de umA travesti”, sugeriu que ela usasse toda sua visibilidade para dar voz a pessoas trans: “Marília, eu assim como muitas outras pessoas trans, acompanham seu trabalho. Você é uma mulher que tem milhões de seguidores, e seria de suma importância se você cedesse sua visibilidade para artistas trans, num meio tão transfóbico +”.

O deputado distrital Fábio Félix também lembrou à Marília que seria importante se retratar perante a mesma audiência que a assistiu: “O comentário transfóbico foi feito para uma audiência de 4 milhões de pessoas. Além de reconhecer o erro, é importante dizer pq não devemos ridicularizar o pouco afeto que as pessoas trans recebem. Que tal dar espaço nas suas redes pras pessoas trans e travestis que te admiram?”

VEJA TAMBÉM:  Marília Mendonça decepciona fãs LGBTs ao debochar de mulher trans em live; assista
Avatar
Criador Põe na Roda, canal do youtube de humor e informação LGBT desde 2014, com mais de 150 milhões de visualizações e 1 milhão de inscritos. Autor do livro "Um Livro Pra Ser Entendido", que desmistifica questões do mundo gay e sobre ser LGBT para todos os públicos. Também foi roteirista de TV (Amor & Sexo, Adnight, CQC, Furo MTV) e colunista (Folha de S. Paulo).