O governo da Malásia cortou 24 minutos do longa-metragem Bohemian Rhapsody, que conta a biografia do vocalista do Queen, Freddie Mercury.

A censura do país não permitiu que as cenas que mostram a vida gay de Freddie Mercury fossem exibidas nos cinemas do país.

A sequência de cenas deletadas inclui uma em que Freddie conta ser bissexual ao que a esposa afirma que ele era gay, outra cena da banda gravando o clipe I Want To Break Free onde Freddie aparecia montado de drag e ainda todas as cenas de Freddie com seu namorado.

O órgão de censura da Malásia ainda classificou o filme como impróprio para menores de 18 anos. Tanto fãs do Queen quanto ativistas LGBTs estão revoltados no país.


Assista também:


“Aviso aos que forem assistir Bohemian Rhapsody na Malásia: cortaram todas as cenas gays do filme, deixando BURACOS no filme!”, escreveu um espectador.

Já um outro sugeriu irem pra fora do país assistir ao filme: “Assisti em Singapura e na Malásia e percebi que não entenderia o filme todo na Malásia. Recomendo que vocês assistam em qualquer outro lugar!”.

“Quando é que vamos finalmente BREAK FREE na Malásia”, disse um outro espectador fazendo trocadilho com um dos sucessos do Queen que foi censurado no filme por mostrar os integrantes do Queen montados de drag.

De acordo com a lei da Malásia, cenas com conteúdo ou personagens LGBT só podem aparecer nas produções audiovisuais exibidas no país se mostrarem arrependimento ou se os personagens morrerem.

Vale lembrar que, em 2017, o país também censurou a cena gay do filme A Bela e A Fera da Disney.

Apesar de tudo, o filme Bohemian Rhapsody – atualmente em cartaz (corra ver porque é incrível!) – segue um sucesso e marcou a segunda maior bilheteria de um filme biográfico da história, alcançando U$ 72 milhões nas bilheterias mundiais com adicional de U$ 50 milhões nos Estados Unidos, totalizando U$ 122,5 milhões arrecadados só na primeira semana de exibição mundial.

Criador Põe na Roda, canal do youtube de humor e informação LGBT desde 2014, com mais de 100 milhões de visualizações e 800 mil inscritos. Autor do livro "Um Livro Pra Ser Entendido", que desmistifica questões do mundo gay e sobre ser LGBT para todos os públicos. Também foi roteirista de TV (Amor & Sexo, Adnight, CQC, Furo MTV) e colunista (Folha de S. Paulo).