Madonna prestou homenagem ao seu icônico vídeo de “Like A Prayer” que completou 30 anos esta semana. O clipe inovador, que abordou o racismo e apresentou imagens religiosas pesadas, foi recebido positivamente pelos críticos em 1989 e é regularmente considerado como um dos maiores videoclipes de todos os tempos.

Apesar de seu lugar na história da cultura pop, o vídeo também continua sendo um dos momentos mais controversos da carreira de Madonna, na época enfrentando protestos em massa e protestos de grupos religiosos e líderes, incluindo o papa João Paulo II.

Quando perguntada sobre a reação, Madonna disse ao New York Times: “A arte deve ser controversa, e isso é tudo.”

Nesta semana, Madonna foi às mídias sociais para reconhecer as três décadas que se passaram desde o lançamento do vídeo e relembrar a controvérsia que causou com alegria.

“Há 30 anos lancei Like a Prayer e fiz um vídeo que causou muita polêmica porque beijei um santo negro e dancei na frente de cruzes em chamas”, escreveu ao lado de um trecho do videoclipe.

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:

“Também fiz um comercial com a PEPSI que foi banido porque meu vídeo foi visto como impróprio. Feliz aniversário para mim e controvérsia!” . Como se quisesse ecoar sua reação anterior, ela acrescentou: “Queria postar isso ontem, mas foi bloqueado! que chocante!”

Madonna também compartilhou um trecho de uma reportagem sobre o vídeo, na qual um reverendo o rotulou como “uma das coisas mais ofensivas que já viu”.

Confira o vídeo de “Like a Prayer”: