A cantora Ludmilla ganhou todos os holofotes após assumir o namoro com a bailarina Brunna Gonçalves. Em entrevista à revista Ela, do O Globo, a funkeira comentou sobre o caso e ainda falou sobre os desafios de ser uma mulher negra, com raízes periféricas e bissexual.

“É muito ruim viver escondendo quem você realmente é, vivi por muito tempo essa angústia. Já sou uma pessoa que carrega uma mochila lotada de preconceitos. Negra, funkeira, periférica e bissexual”, disse.

Ludmilla ainda revelou que assumir o relacionamento fez com que ela perdesse alguns contratos.

“Apareceram várias pessoas querendo fazer comerciais, dar patrocínios, mas também perdi contratos. Mas estamos realizadas em viver o que sempre sonhamos, sem precisar nos esconder”, contou.

Questionada sobre sua amizade com Anitta, a cantora também falou sobre como pode ser tóxico a rivalidade feminina que é criada no cenário pop e acrescentou dizendo que se sente honrada quando comparada com mulheres que admira.

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:

“Antes, as pessoas conseguiam entrar na nossa mente para causar rixas e picuinhas. Hoje, estamos muito mais preparadas para isso. É uma honra ser comparada a essas mulheres. Já viu quem elas são? O caminho que elas trilham?”, questionou ela.