A noite da última terça-feira (29) foi marcada pelo Prêmio Multishow. Embora muitos artistas tenham participado do evento, a grande estrela da noite foi a cantora Ludmilla. Ela foi eleita a artista do ano e ainda levou mais uma conquista pela sua música com Snopp Dog e Anitta.

No entanto, o que era para ser um momento de felicidade, se tornou em uma saia justa. A carioca foi vaiada pelos fãs da cantora Anitta ao receber o prêmio pela música “Onda Diferente”. 

A situação aconteceu depois de fãs das cantoras se estranharem no começo de outubro, quando Ludmilla agradeceu Ivete Sangalo por ter cantando a música no Rock in Rio. “Que emoção, ver a rainha Ivete Sangalo e o Rock in Rio todo cantando a minha composição”.

Depois a cantora contou que a música foi escrita apenas por ela e que a gravadora só quis gravar depois que Anitta demonstrou interesse.

Durante o discurso, Ludmilla agradeceu as vaias. “Obrigada pelas vaias, elas me fazem sempre pensar no que eu gostaria ou não que fizessem com as pessoas”, disse ela.

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:

Ainda no palco, com o prêmio de cantora do ano, desbancando Ivete Sangalo, Iza, Anitta e Marília Mendonça, a funkeira se emocionou e chorou enquanto falava das dificuldades de chegar até ali.

“É o choro de uma luta muito grande, muito longa. Eu só queria dizer para todas as meninas, todas as mulheres que nunca mesmo deixem alguém falar o que você é ou o que você pode ser na vida de vocês”, discursou a carioca. 

Paulo Gustavo defende Ludmilla

A prêmio Multishow foi apresentado por Paulo Gustavo e Anitta, que não estava no palco no momento em que Ludmilla subiu para receber o prêmio.

Após o discurso de Ludmilla, Paulo Gustavo pediu a atenção da plateia e ovacionou a funkeira. Ele enalteceu o trabalho da artista e falou sobre as dificuldades que ela enfrenta para se firmar em um país racista, homofóbico e machista. 

“Ludmilla, deixa eu falar uma coisa pra você: eu sou seu fã, você que nasceu aqui nesse país mulher, negra, gay, da periferia, num país extremamente racista, homofóbico, chegar onde você chegou não é pra qualquer um. Sua trajetória inspira milhões de pessoas, parabéns!”, disse ele.