Os escritos Jericho Brown e Michael R. Jackson, que são autores negros e gays, foram premiados o prêmio Pulitzer, a maior honraria da literatura e jornalismo americanos.

Jericho Brown venceu na categoria de Poesia, com a obra “The Tradition”, que narra sobre tiroteios e assassinato de cidadãos desarmados pela polícia. O livro anterior do autor, “The News Testament”, lançado em 2014, retrata como é ser gay e negro nos Estados Unidos.

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:

Michael R. Jackson levou o Pulitzer de peça em drama por “A Strange Loop”, que estreou no circuito da Broadway em maio de 2019. A obra é uma semi-autobiografia e narra as vivências de um escritor negro, gay e gordo tentando conquistar o próprio espaço em um mundo heteronormativo e branco. 

Devido a pandemia de coronavírus e o consequente isolamento social, a premiação do Pulitzer deste ano ocorreu de maneira virtual. A organizadora da premiação, Dana Canedy, anunciou os vencedores em uma transmissão ao vivo pelo YouTube em sua sala de estar, em vez da cerimônia usual na Universidade de Columbia, em Nova York.

Jericho Brown (a esquerda) e Michael R. Jackson (a direita)