O livro “O Espírito Perdido”, do autor brasileiro P. J. Maia, acaba de ganhar o prêmio Independent Press Awards 2020 na categoria “Melhor Livro de Fantasia”.

Vale lembrar que além deste prêmio, no ano passado a obra também venceu a categoria “Escolha dos Leitores” no Wishing Shelf Awards 2019.

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:

Em seu Instagram, o autor agradeceu a conquista: “Obrigado pela seu apoio e sua leitura! Fique em casa… e venha para o nosso mundo”. E ta aí uma excelente sugestão de atividade pra se fazer em tempos de quarentena, né? A leitura de um livro cheio de aventura e representatividade!

O livro – que também foi lançado nos Estados Unidos com o título de “The Missing Spirit” – traz muita diversidade em sua história ao retratar heróis LGBTs, fluidez de gênero e até vilões homofóbicos em meio a toda aventura.

VEJA TAMBÉM:  Gay, preto e periférico: Influenciador lança livro contando sua vivência e entrevistando ícones LGBT+

A história se passa numa pré-história mágica, onde deuses imortais controlam o destino da Terra enquanto exploram os homens e mulheres das cavernas sem dó nem piedade. A magia deste universo permite que mesmo ambientada na Idade da Pedra, a história se desenrole cheia de pitadas contemporâneas.

A protagonista da aventura é Keana, uma humana refugiada entre os deuses que se torna um problema para eles quando passa a manifestar poderes estranhos. Para ajudá-la em sua missão de fugir para a Terra está a postos uma turma bem diversa.

Seu primo, Jamie, foi criado por dois pais, os herois de guerra Orlando e Zácaro e – pasmem – mesmo assim se tornou hétero. Mason, um dos jovens deuses, descobre sua homossexualidade e atração pelo melhor amigo quando seu reino entra em guerra com os humanos. Entre o rol de reis e rainhas que já governaram este mundo, tem inclusive ume monarca de gênero não-binário.

VEJA TAMBÉM:  Xuxa lançará livro infantil que tem temática LGBT

Diferente de outras obras LGBTs, nesta os personagens tem conflitos próprios muito além da própria sexualidade.

Os personagens que disseram pra mim quem eles eram. Eu não pensei esse vai ser assim e esse vai ser assado pra ficar plural.Eu já tenho uma vivência plural. O mundo a qual eu me cerco é um mundo diverso. Então, não cabia pra mim que, no momento de criação que é um momento de catarse e alegria, que eu fosse criar um mundo diferente“, conta P.J. Maia quando questionado se esses personagens tinham sido inseridos pra abordar diversidade ou se já foram criados daquela forma.

Curioso para conhecer essa história? Espírito Perdido pode ser encomendado direto no site da Amazon Brasil.

Avatar
Criador Põe na Roda, canal do youtube de humor e informação LGBT desde 2014, com mais de 150 milhões de visualizações e 1 milhão de inscritos. Autor do livro "Um Livro Pra Ser Entendido", que desmistifica questões do mundo gay e sobre ser LGBT para todos os públicos. Também foi roteirista de TV (Amor & Sexo, Adnight, CQC, Furo MTV) e colunista (Folha de S. Paulo).