Quem não se lembra do vídeo que viralizou em 2009 com Leona – Assassina Vingativa e a Aleijada Hipócrita? Publicado no YouTube de forma despretensiosa, teve mais de 2 milhões de visualizações e tornou as duas um sucesso na internet até hoje. A dupla é entrevistada no segundo episódio de “Favela Gay – Periferias LGBTQI+”, que vai ao ar no Canal Brasil na quarta, 1º de abril, às 19h30.

Leandro e Paulo Colucci (nomes de batismo das duas) moram em Jurunas, Belém, e são vizinhos e amigos desde criança. Mesmo na infância, perceberam que Leandro não era como os outros garotos da idade dele: “A gente nunca tinha visto um menino fazendo coisas ‘absurdas’, colocando vestido, maquiagem. Ele era muito pequenininho mesmo”, diz Paulo. Leona complementa: “Sempre chamei atenção pelo meu jeito. Existiam outros meninos gays, mas não tão abusados como eu”.

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:
VEJA TAMBÉM:  “Eastenders tenta tirar a homofobia da sociedade desde a década de 80”, diz diretora da série

Na entrevista, Leona diz que já passou por muitas situações de preconceito, mas adora rebater as críticas e comenta sobre os embates que precisou enfrentar com a mãe, antes muito preconceituosa. Hoje, ela torce pelo sucesso do filho, como prefere chamar, e teme pela violência do mundo. Atualmente, Leona e Aleijada têm seu próprio canal no Youtube com vídeos de paródias e foram até parar no teatro, quando a história de Leona Vingativa virou tema de espetáculo. “Bicha é muito forte. A gente passa por várias coisas, mas está sempre brincando com a situação. Gosto de saber que sou inspiração pra outras pessoas e que ajudei algumas a ‘saírem do armário’”.

Elas explicam ainda como se definem dentro da sigla LGBTQI+: “Eu me identifico com travesti, não gosto de ser mulher e não quero ser uma mulher perfeita, gosto de ser bicha mesmo”, afirma Leona. Já Paulo segue outra linha: “Goto de me vestir como menino. Tem cara que fica com gay, mas que não é gay. Não é estranho? É desse estilo que eu gosto, homens que namoram com meninas e que não assumem a bissexualidade”, diz.

VEJA TAMBÉM:  Glee: Qual o legado da série que completa 10 anos?

Na série, elas também falam sobre a infância, mostram os locais onde gravam seus clipes e comentam o sucesso inesperado.

Os dez episódios de “Favela Gay – Periferias LGBTQI+” estarão disponíveis no Canal Brasil Play sempre após a exibição na TV e poderão ser assistidos também por não assinantes durante o primeiro mês.

FAVELA GAY – PERIFERIAS LGBTQI+
Canal Brasil
Horário:
Quarta, 1/04, às 19h30
Rebatidas: Segundas, às 12h30; e terças, às 7h30
Classificação: 12 anos

Avatar
Criador Põe na Roda, canal do youtube de humor e informação LGBT desde 2014, com mais de 150 milhões de visualizações e 1 milhão de inscritos. Autor do livro "Um Livro Pra Ser Entendido", que desmistifica questões do mundo gay e sobre ser LGBT para todos os públicos. Também foi roteirista de TV (Amor & Sexo, Adnight, CQC, Furo MTV) e colunista (Folha de S. Paulo).