Jotta A é uma fênix! Depois que de encontro com sua sexualidade e da luta contra o preconceito no meio em que atua – pastores cantores homofóbicos – ele abandonou a música gospel após anos como uma das maiores celebridades gospel e anunciou trabalhos e parcerias inesperadas, incluindo uma repaginada nas atitudes e no visual também.

Essa semana, Jotta A simplesmente postou em suas redes uma foto em que aparece dentro de um carrinho de supermercado fumando um baseado. Não demorou minutos para que cantoras evangélicas, pastores e afins comentassem uma enxurrada de “Jesus ainda te ama mesmo estando fora do caminho”.

Jotta A anunciou, ano passado, que estaria trabalhando em um disco de reggaeton e que não gravaria mais canções evangélicas, e agradeceu aos fãs (que só aumentaram no Instagram), após o anúncio de seus novos projetos, nessa época, até o pastor Silas Malafaia fez post atacando o cantor.

Jotta A assume militância anti-racismo e anti-homofobia

Em seu post, Jotta A diz: “Há alguns meses atrás em uma reunião empresarial, um grande profissional ao conhecer minha arte, me disse que por eu ser uma pessoa LGBTQIA+, minha música não traria o mesmo rendimento que um artista heterossexual (fato!). Eu tive a opção de esconder minha orientação sexual, de não compartilhar minha história, isso me traria melhor aceitação, maior alcance já que uma grande porcentagem da nossa sociedade é homofóbica”.

“Isso é frustrante, torna minha trajetória mais difícil, mas não mata meu talento, e quem sou como ser humano. Não desista de defender sua VERDADE!” finaliza o canto que agora aparece ao lado de uma placa com o nome de Marielle Franco, afirmando também sua luta anti-racismo. Isso aí, Jotta!