Durante entrevista ao programa do Bial, Ícaro Silva e Jesuíta Barbosa falaram sobre sexualidade e criticaram a curiosidade da mídia em torno da vida pessoal e íntima dos artistas.

“Tem um retorno da mídia de querer saber da sua sexualidade, o que você faz, tenho impressão que a gente sempre tem que falar disso socialmente. Quais são os problemas que nós temos na sociedade? E, sobre sexualidade, temos essa cultura que é sexista, que oprime a mulher, o feminino”, disse Jesuíta.

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:

E completou: “Eu não posso enquanto homem não estar em função disso. Eu acho que eu preciso, enquanto artista também, reafirmar o poder feminino. Não preciso ficar falando que sou homem. A gente tem que estar em função da mulher, respeitá-la, e respeitar também a comunidade LGBT e todas as diferenças”, afirmou.

Ja Ícaro, continuou: “Sim. Ser sexualmente livre, afetivamente livre. Se for pro bem da nação que digam que sou viado, no meu caso, bicha preta. Eu acho que fica muito perigoso quando a vida pessoal dos artistas ganha o primeiro plano porque não é disso que a gente está falando” , disse o ator.

VEJA TAMBÉM:  4 artistas LGBTs concorrem no Melhores do Ano 2019 do Faustão; vote aqui

E finalizou: “Como artista, quando a gente se envolve com arte, você começa a perceber suas funções sociais. A minha vida pessoal, com quem estou dormindo, não tem a ver com o que quero mudar em relação ao público”, concluiu.