O documentário, “George Michael: Freedom”, foi considerado o último trabalho da estrela e estreou essa semana na Inglaterra, no Channel 4. O filme foi concluído antes de sua morte em dezembro de 2016, e fala de sua carreira e influência, misturando sua vida pessoal e sua produção profissional. Combinando entrevistas, clipes existentes (principalmente vídeo) com uma nova voz de Michael, o documentário reúne uma narrativa cronológica da vida do cantor.

James Corden falando de sua amizade com George Michael

Embora não haja um grande material original do próprio Michael, o mais interessante é a maneira como sua narrativa foi reconsiderada por alguns músicos contemporâneos improváveis, como Liam Gallagher, do Oasis. O documentário também tem entrevistas do apresentador James Corden, de Elton John e figurões da indústria discográfica, mostrando que às vezes como a máquina parecia simplesmente incapaz de entender como alguém tão jovem e talentoso poderia estar tão disposto a negar suas orientações.

A vida privada de George Michael também faz parte do documentário. O tempo ele que viveu com seu primeiro amor, o brasileiro, Anselmo Feleppa, que morreu de AIDS, pouco depois de se conhecerem, também é mostrado. Os tributos feitos por Adele e Coldplay nos meses após sua morte, também estão no filme. Estes, juntamente com a introdução de Kate Moss, são os únicos lembretes de que realmente George Michael se foi.

O documentário é um tipo de celebração como uma promoção patrocinada pela Sony Music. Apesar disso, o filme é um lindo tributo a vida e a carreira de Geroge Michael.

Confira o trailer do documentário:

A Sony Music Brasil também liberou no Spotify uma playlist chamada de “Freedom” com as músicas que fazem parte do documentário.

 

Veja também: 

Assista também:

Criador Põe na Roda, canal do youtube de humor e informação LGBT desde 2014, com mais de 100 milhões de visualizações e 800 mil inscritos. Autor do livro "Um Livro Pra Ser Entendido", que desmistifica questões do mundo gay e sobre ser LGBT para todos os públicos. Também foi roteirista de TV (Amor & Sexo, Adnight, CQC, Furo MTV) e colunista (Folha de S. Paulo).