A nova animação da Disney, o reboot de DuckTales, revelou detalhes sobre a família de Violet, colega de Huguinho, Zezinho e Luisinho, que tem dois pais. Enquanto alguns celebravam a inserção do casal de patos gays, um cristão fundamentalista ficou indignado com a aparição dos personagens no desenho.

Ken Ham é CEO e fundador da Answers in Genesis, dono do Museu da Criação, que ignora a ciência, e do Ark Encounter, um parque de diversões com tema da Arca de Noé com uma arca “em tamanho real”. Sua organização descreve “homossexualidade, bissexualidade, pansexualidade, transgênero, travestismo e não-binarismo” como algo “distorcido e corrupto”.

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:

No Facebook, Ham expressou sua revolta: “A Disney continua a empurrar incansavelmente e sem vergonha a agenda LGBT+ para as crianças. Desta vez, é através do reboot do programa DuckTales no serviço de streaming Disney+ com um casal de ‘pais’ gays.”

VEJA TAMBÉM:  Bancada evangélica do DF quer Parada LGBT+ fora do calendário oficial da capital

“Outros programas infantis da Disney também empurram a agenda gay, e o co-produtor executivo, Frank Angones, parecia ainda lamentar que a representação gay no desenho não é o foco central porque a séria está enraizada na década de 1980 com personagens envolvidos em ‘romances heteronormativos’”, afirma Ham.

Frank Angones, produtor executivo da série animada citado por Ham, observa que: “Estou bem ciente de que o tropeço da ‘representação queer através dos pais e dos personagens secundários’ é um problema, e meio que nos deparamos com muitos romances heteronormativos nesta série… Realmente não fizemos o suficiente para representar a população LGBTQ+ de modo relevante. Temos alguns temas e ideias que abordam narrativas LGBT+, mas sempre há oportunidade para muito mais. Não quero um biscoito por dizer ‘olhe o que fizemos’”.

VEJA TAMBÉM:  “O que não gosto é de gay escandaloso!”, diz Diego no BBB

Angones ainda aponta estar dedicado a ser melhor e buscar novas oportunidades para representar de maneira abrangente a comunidade LGBT+, seja nesse desenho ou em um próximo.

A afirmação de Frank Angones inflamou ainda mais a raiva de Ham. No Facebook, ele continuou: “A Disney estará apresentando cada vez mais a agenda gay no Disney+ para doutrinar seus filhos neste estilo de vida anti-bíblico e pecaminoso que destrói a família. Infelizmente, a Disney como um todo tem pressionado a agenda gay”.