O filme “Tom of Finland”, interpretado pelo ator Pekka Strang, é proibido em mais de 50 países e deve concorrer ao Oscar no próximo ano. O filme conta a história do artista finlandês Touko Laaksonen conhecido pelo seu trabalho de caráter homoerótico, talvez o principal artista a representar a homossexualidade masculina no século 20, ele inventou um traço que traduz com perfeição o desejo sexual de um homem por outro.

O filme “Tom of Finland” (2017), de Dome Karukoski, quase não consegue sair do papel. Como ninguém queria pagar para produzi-lo, seus produtores acabaram abrindo um crowdfunding para conseguir o dinheiro necessário, acreditando no poder da comunidade gay mundial. O resultado é um longa incrivelmente benfeito, com uma história inspiradora e muito excitante. O longa parte da participação de Tom, à época Touko Valio Laaksoneen, no exército finlandês durante a Segunda Guerra Mundial. A barra começa a pesar após o fim do conflito, pois era crime ser gay na Finlândia. No entanto, nada que uma praça pouco iluminada e um olhar atento – para ver quando a polícia estivesse se aproximando – não resolvesse.

Outro ponto de destaque sobre Tom – é que pouca gente sabe – é a sua crise com o surgimento da AIDS. Ele já era um artista famoso e bem-sucedido nos Estados Unidos, mas ele se sentiu responsável pelas contaminações, porque os seus desenhos despertavam o desejo sexual das pessoas, o que teria feito o vírus se espalhar, segundo o que ele acreditava. O artista por fim entende que não tem culpa, como ainda tem participação ativa nas organizações responsáveis por arrecadar dinheiro e dar suporte aos contaminados pelo vírus HIV.

Por conta do tema, “Tom of Finland”  já foi banido em alguns países por se tratar de temática LGBT.  É admirável o resultado conseguido pelo diretor Dome Karukoski, e descobrir que os desenhos de Tom vão além de volumes nas calças e jaquetas de couro.

Que garra, hein?


Assista também:


Confira o trailer do filme:

 

VEJA MAIS:

Criador Põe na Roda, canal do youtube de humor e informação LGBT desde 2014, com mais de 100 milhões de visualizações e 800 mil inscritos. Autor do livro "Um Livro Pra Ser Entendido", que desmistifica questões do mundo gay e sobre ser LGBT para todos os públicos. Também foi roteirista de TV (Amor & Sexo, Adnight, CQC, Furo MTV) e colunista (Folha de S. Paulo).