O cantor britânico Will Young, se abriu sobre o passado em entrevista ao Daily Mirror onde fala sobre sua autobiografia, que está para ser lançada.

O cristalzinho do Vale admitiu que costumava se masturbar escondido em banheiros de estações de trem quando adolescente, usando revistas pornográficas gays que comprava em bancas e quiosques da estação Victoria Station, em Londres.

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:

Ele revela em sua autobiografia To be a Gay Man, que na época isso o deixava cheio de culpa e cada vez mais frustrado com sua identidade, ainda cheio de homofobia internalizada, curiosamente – e não à toa – como também aconteceu com o cantor abertamente gay Mark, da boyband britânica Westlife.

Young falou abertamente sobre sua luta interna pra entender sua própria sexualidade, sentindo sempre um misto de “culpa e vergonha” pelo prazer que sentia ao ver pornografia gay.

VEJA TAMBÉM:  Will Young conta como a prisão já o “salvou” de ter que fazer sexo hétero com a namorada

Will Young, hoje com de 42 anos, escreve em seu livro sobre sua adolescência: “Naquele verão, comecei a explorar esta parte. Notei que na estação de metrô de Victoria Station havia um jornaleiro que vendia revistas pornográficas gays. Parecia estranho que essa loja em particular os tivesse, pois eu nunca os tinha visto em uma banca de jornal antes. Levei algumas semanas para criar minha coragem, mas um dia entrei e comprei três dessas.

Ele continua: “Enquanto me dirigia ao caixa, a sensação de pavor que eu tive foi insuportável. Era como se algo terrível fosse acontecer: o lojista faria algum comentário ou julgamento e as pessoas na loja apontariam e olhariam para mim”.

O cantor britânico Will Young e sua autobiografia: "To Be a Gay Man" (Foto: Reprodução / Instagram)
O cantor britânico Will Young e sua autobiografia: “To Be a Gay Man” (Foto: Reprodução / Instagram)

Ainda assim, ele foi em frente hesitante: “Mesmo depois de comprar as revistas, senti que todos na estação de metrô sabiam o que eu estava fazendo. Foi uma mistura de terror e culpa. Antes de pegar o trem para me levar de volta pra casa, fui ao banheiro e folheei as revistas”.

VEJA TAMBÉM:  Will Young conta como a prisão já o “salvou” de ter que fazer sexo hétero com a namorada

“Então depois, me sentindo péssimo, jogava as revistas na lixeira antes de sair pra que não deixasse evidências”, desabafou o cantor.

E todo esse processo destrutivo de extrema culpa consigo fazia parte da sua “rotina” sempre que Will Young usava o trem. Ele comprava na mesma banca de jornal e, em seguida, “batia uma escondido”, em suas palavras, e depois jogava as evidências no lixo antes de sua sair da estação pra que ninguém soubesse.

“Lentamente, fui descobrindo minha própria sexualidade por meio dessas revistas”, disse Will Young. E completou: “O interessante é que foi feito muito em segredo e sob um véu de culpa e vergonha, mas é óbvio que estava acontecendo.”

Avatar
Criador Põe na Roda, canal do youtube de humor e informação LGBT desde 2014, com mais de 150 milhões de visualizações e 1 milhão de inscritos. Autor do livro "Um Livro Pra Ser Entendido", que desmistifica questões do mundo gay e sobre ser LGBT para todos os públicos. Também foi roteirista de TV (Amor & Sexo, Adnight, CQC, Furo MTV) e colunista (Folha de S. Paulo).