O ator Paulo Gustavo se manifestou sobre as críticas que sofreu na Internet pela ausência de beijo na boca em uma cena de casamento gay que terá no filme Minha Mãe É Uma Peça 3, que estreia em dezembro.

A polêmica começou após o ator Rodrigo Pandolfo, que interpreta um dos cônjuges no filme, dar uma declaração a um jornalista explicando o motivo da cena não ter o tradicional beijo, gerando uma onda de declarações negativas nas redes sociais.

Primeiramente, Paulo Gustavo deixou claro que a cena nunca foi gravada pra que pudesse ter sido vetada: “Não é que o Pandolfo beijou um outro ator e teve a cena do beijo e eu falei: ‘Corta’, ‘Tira’ e eu fui e censurei. Não, não teve isso. A cena não foi escrita”, explicou Paulo.

Ainda assim, vale lembrar que ninguém falou em “cena gravada” necessariamente, mas ao veto da ideia de beijo.  Na entrevista do ator Rodrigo Pandolfo, o próprio disse que questionou Paulo Gustavo por que não teria beijo e o mesmo havia afirmado que “era um filme popular e não tinha por que esfregar opinião pessoal na cara das pessoas”.

Reproduzindo a fala de Rodrigo Pandolfo na íntegra: “O Paulo optou por não ter o beijo. Questionei: Por que não vai ter? E ele falou: ‘A gente está fazendo um filme popular. O Brasil tem questões relacionadas ao beijo gay ainda infelizmente. O Juliano já vai casar’. Ele não sentiu a necessidade de expor publicamente o beijo”, disse o ator em entrevista ao UOL.

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:

Em outros momentos ainda em seus stories, Paulo Gustavo garantiu que não é preconceituoso como estão dizendo, que é a favor de Direitos LGBTs, casamento, criminalização da LGBTfobia, e que o alvo das pessoas está errado, uma vez que ele está do mesmo lado de todos nós: “Eu sou gay, casado. Minha mãe, meus pais vêem a gente beijando! Só não posto na Internet porque não quero. Preciso botar uma live transando com o Thales agora pra vocês pra provar que não sou preconceituoso?”, disse o ator.

Vale aqui um outro adendo. Talvez Paulo Gustavo não tenha percebido na emoção do desabafo, mas confundir um ato de afeto (beijo) com pornografia (transar) é justamente o que Crivella fez ao censurar uma HQ na Bienal do Rio. E é justamente o argumento de reacionários contra gays se beijarem por aí, como qualquer casal hétero faz e ninguém vê problema. Não há qualquer problema em postar um beijo na Internet, BEM diferente de fazer uma live transando…

Sobre o filme, o ator afirmou que apesar da ausência do beijo, há várias lições e momentos inspiradores sobre a questão LGBT além do casamento: “Vocês nem viram o filme pra saber, não viram nem o trailer! (…) No filme, a mãe tem o maior orgulho do filme seguir o caminho do amor, se casar com quem ama, ser quem ele quer ser! Fiz questão de colocar isso pra inspirar outras famílias!”, disse.

Finalizando, Paulo Gustavo criticou a vibe de ódio e julgamento das pessoas, às quais lembrou de que devemos lutar juntos: “Onde já se viu, vocês falarem de liberdade, de amor e de censura e vocês estão atrás de mim me censurando e me atacando, cadê o amor? (…) Se vocês querem lugar a gente vai lutar, mas vamos lutar junto, é muito preconceito, muita raiva, muita censura, e a gente não vai ser censurado, a gente não vai se calar, a gente não vai voltar pro armário, e a gente vai voltar a esse assunto e vai ter beijo gay quando tiver que ter”.

Avatar
Criador Põe na Roda, canal do youtube de humor e informação LGBT desde 2014, com mais de 100 milhões de visualizações e 800 mil inscritos. Autor do livro "Um Livro Pra Ser Entendido", que desmistifica questões do mundo gay e sobre ser LGBT para todos os públicos. Também foi roteirista de TV (Amor & Sexo, Adnight, CQC, Furo MTV) e colunista (Folha de S. Paulo).