A filha do finado cantor e rei do pop, Michael Jackson, Paris-Michael Jackson, se abriu sobre sua sexualidade em uma série de vídeos no documentário Unfiltered: Paris Jackson e Gabriel Glen, lançada no Facebook Watch. Na série, ela disse que “nunca pensou” que “terminaria com um cara” na sua vida.

Muitas das histórias de vida de Jackson são contadas na obra, que fala muito sobre todo apoio e o amor de seu pai. Michael Jackson fez questão de demonstrar tolerância, conta.

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:

“Meu pai me criou com a mente muito aberta”, disse ela. “Eu tinha oito anos, estava apaixonada por uma mulher de uma capa de revista. Em vez de gritar comigo, como a maioria dos pais homofóbicos, ele simplesmente dizia pra mim, tipo, ‘Oh, você arranjou uma namorada’.

Paris disse recentemente à People sobre sexualidade e identidade de gênero: “Não tem nada a ver com o que está em suas calças. Não tem nada a ver com a composição do seu cromossomo X ou Y, é literalmente apenas, é sobre como você é como pessoa.” Jackson também disse: “Eu não me consideraria apenas bissexual porque namorei mais do que apenas homens e mulheres”, levando a crer que seja então pansexual.

VEJA TAMBÉM:  Elton John narra encontros que teve com Michael Jackson durante a carreira: "era perturbador"

Embora tenha tido o apoio de seu pai desde muito jovem, depois que ele faleceu, ela foi criada por sua avó, testemunha de Jeová, Katherine Jackson, o que a fez evitar o assunto por muito tempo: “A homossexualidade em geral é muito tabu na comunidade negra, então, além do aspecto religioso, era algo que eu sentia que precisava reter por um tempo”, revelou.

A jovem também afirmou que a primeira vez que se assumiu para a família, eles não acreditaram nela, mas ela não deixou que isso a atrapalhasse. Sobre a série, Jackson disse que quer continuar a usar a sua voz para não ficar quieta, mas sim falar cada vez mais alto e ampliar o ativismo para fazer mudanças benéficas na sociedade.

Avatar
Criador Põe na Roda, canal do youtube de humor e informação LGBT desde 2014, com mais de 150 milhões de visualizações e 1 milhão de inscritos. Autor do livro "Um Livro Pra Ser Entendido", que desmistifica questões do mundo gay e sobre ser LGBT para todos os públicos. Também foi roteirista de TV (Amor & Sexo, Adnight, CQC, Furo MTV) e colunista (Folha de S. Paulo).