O ator Bruno Gagliasso fez um desabafo em suas redes sociais sobre ataques que vem sofrendo desde que decidiu se posicionar politicamente publicamente, principalmente desde as eleições 2018.

“Tenho tanta vontade de contar pra vocês as coisas que passamos enquanto essa coisa que hoje está no poder se criava. Recebi um e-mail de uma senhora que era minha fã há anos pedindo que eu deixasse de apoiar a pedofilia. Tudo por causa desses lixos de fake news!”, contou Bruno.

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:

Então ele falou sobre outro caso de fake news envolvendo seu nome: “Postaram fotos minhas com um amigo de mais de 18 anos dizendo que era meu namorado e Gio era apenas fachada ‘para esconder a pederastia’”.

Vale lembrar: Denúncias hoje em dia sugerem que existe um apelidado ‘gabinete do ódio’ operado pelo filho do presidente, Carlos Bolsonaro, e de lá é que  partem muitos dos ataques organizados, tanto à políticos da oposição quanto figuras do meio artístico que se posicionam contra o governo autoritário antidemocrático de Jair Bolsonaro.

VEJA TAMBÉM:  Premiação de filmes pornô gay é acusada de racismo

Em seguida, o ator contou sobre outras situações que sofreu não apenas na Internet, mas também fisicamente, como quando viajava de carro com a esposa Giovanna Ewbank e a filha Titi:

“Meu carro foi parado pela polícia na estrada de Búzios. Trataram a gente como bandidos”, disse Bruno. Ainda segundo seu relato, os agentes policiais falavam coisas como: “Os lacradores devem estar cheios de drogas no porta-malas!”, fazendo ameaças.

“Tinha brinquedo da minha filha e roupas da minha família”, disse o ator que questionou ao final do desabafo: “Hoje é fake news de cloroquina, amanhã pode ser um de nós que não apoiamos esse governo. Esse é o rumo?”.

Avatar
Criador Põe na Roda, canal do youtube de humor e informação LGBT desde 2014, com mais de 150 milhões de visualizações e 1 milhão de inscritos. Autor do livro "Um Livro Pra Ser Entendido", que desmistifica questões do mundo gay e sobre ser LGBT para todos os públicos. Também foi roteirista de TV (Amor & Sexo, Adnight, CQC, Furo MTV) e colunista (Folha de S. Paulo).