Integrantes da boyband irlandesa Boyzone – grande sucesso no Reino Unido nos anos 90 – já dormiram ao lado do caixão de Stephen Gately, membro da banda, na noite que antecedeu seu funeral.

A boyband irlandesa foi uma das mais bem-sucedidas da história do Reino Unido. Stephen Gately se tornou um herói pra LGBTs ao se assumir em 1999, o que gerou uma grande repercussão para a época.

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:

Ele tomou a decisão de falar abertamente sobre sua sexualidade após ser chantageado por um conhecido que disse que venderia sua sexualidade para a imprensa.

Stephen Gately, do Boyzone, foi uma das primeiras celebridades do pop a sair do armário em 1999 (Foto: Divulgação)
Stephen Gately, do Boyzone, foi uma das primeiras celebridades do pop a sair do armário em 1999 (Foto: Divulgação)

Infelizmente, Stephen Gately faleceu em decorrência de um problema cardíaco congênito no último dia 10 de outubro de 2009 com apenas 33 anos.

Agora, marcando o 11º aniversário de sua morte, o ex-integrante da banda, o cantor Ronan Keating, revelou algumas de suas memórias de Gately.

Boyzone, boyband de sucesso nos anos 90 (Foto: Reprodução / BBC)
Boyzone, boyband de sucesso nos anos 90 (Foto: Reprodução / BBC)

Ronan Keating, agora com 43 anos, junto com Keith Duffy, Shane Lynch e Mikey Graham, dormiram em sacos de dormir ao lado do corpo de Gately enquanto aguardava o velório na Igreja St Laurence O’Toole na capital irlandesa, Dublin.

Em entrevista à Sky News publicada pelo Gay Star News, o cantor contou como eles passaram a última noite com Gately, dormindo ao lado de seu caixão. “Nós choramos e rimos e pudemos ouvi-lo contando piadas e pudemos ouvi-lo respondendo de volta”.

“Foi uma experiência linda e incrível estar lá com Ste naquela noite. E também lá fora, saímos por volta das 6h da manhã e os fãs passaram a noite do lado de fora também e foi inacreditável”.

Ronan Keating seguiu carreira-solo após o fim do Boyzone (Foto: Divulgação)
Ronan Keating seguiu carreira-solo após o fim do Boyzone (Foto: Divulgação)

“Pessoas vieram de todas as partes, pessoas da Ásia, da África do Sul, da América do Sul, da América do Norte e da Europa… Fiquei muito orgulhoso”.

No último fim de semana, Keating compartilhou uma mensagem no Instagram onde disse: “11 anos se passaram e ainda é tão difícil como nunca não ter você em todas as nossas vidas. Saudades de você irmão.”

Ele continuou: “Sinto falta da sua risada, falta do seu senso de humor… Eu sei que você ainda está sorrindo. Deus te abençoe.

Reunidos pelo empresário britânico do pop Louis Walsh, a boyband teve uma sequência de seis singles no topo das paradas britânicas, com hits como Words, No Matter What, All That Matters To Me e You Needed Me.

Apesar da indústria do entretenimento ter um longo histórico de aceitação LGBT, havia poucas figuras abertamente gays na época. Em particular, membros da indústria da música alertaram os membros da boyband para não se apresentarem, por medo de afastar as fãs mulheres que tanto os desejavam.

Até Louis Walsh – que não sabia sobre a sexualidade de Stephen Gately quando formou o Boyzone – admitiu que não teria colocado o rapaz na banda na época se soubesse de sua sexualidade, por achar naquele tempo que ‘não seria aceitável um cara gay em uma banda naqueles tempos’.

A decisão de Stephen Gately de se assumir influenciou gerações futuras. No entanto, como muitos homens gays, ele sofreu com problemas de saúde mental, lutando contra a depressão e o vício em medicamentos prescritos de 2000 a 2002.

Ele conheceu seu marido, Andrew Cowles, através do casal de amigos gays em comum, Elton John e David Furnish.

Stephen Gately e o marido Andrew Cowles (Foto: Reprodução / Daily Mirror)
Stephen Gately e o marido Andrew Cowles (Foto: Reprodução / Daily Mirror)

Eles oficializaram a união com uma cerimônia em Las Vegas em 2003. Quando o casamento gay passou a ser legal no Reino Unido, eles a oficializaram com uma cerimônia que aconteceu em Londres em março de 2006.

Avatar
Criador Põe na Roda, canal do youtube de humor e informação LGBT desde 2014, com mais de 150 milhões de visualizações e 1 milhão de inscritos. Autor do livro "Um Livro Pra Ser Entendido", que desmistifica questões do mundo gay e sobre ser LGBT para todos os públicos. Também foi roteirista de TV (Amor & Sexo, Adnight, CQC, Furo MTV) e colunista (Folha de S. Paulo).