Após um print postado em seu Instagram de um bloqueio da Parada LGBT de SP ao seu perfil, muitos internautas entenderam que a drag queen Kaká Di Polly havia sido bloqueada pelo perfil oficial da Parada.

Mas parece que não foi bem isso… Depois que a organização da Parada LGBT negou que tenha bloqueado Kaká de suas redes sociais, a drag queen explicou que seu post foi entendido e noticiado errado.

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:

Segundo Kaká, o print postado em seu Instagram, era de um block da Parada ao empresário Douglas Drummond, ainda que não tenha ficado claro no seu post, cuja legenda apenas dizia: “Aí a prova do que eles estão fazendo”.

Douglas Drummond, pra quem não sabe, é o empresário dono da maior sauna gay do país, a 269 Chilli Pepper Single Hotel.

“Noticiaram errado. Não fui eu que fui bloqueada. Quem foi bloqueado foi o Douglas Drummond. E aí postei o print. E saiu como sendo eu bloqueada. Não fui bloqueada pela Parada, fui bloqueada pelo Facebook onde eu fui denunciada várias e várias vezes”, explicou Kaká Di Polly ao Põe Na Roda.

VEJA TAMBÉM:  Parada LGBTQ+ de São Paulo define temas para 2020 e 2021; saiba quais serão
Avatar
Criador Põe na Roda, canal do youtube de humor e informação LGBT desde 2014, com mais de 150 milhões de visualizações e 1 milhão de inscritos. Autor do livro "Um Livro Pra Ser Entendido", que desmistifica questões do mundo gay e sobre ser LGBT para todos os públicos. Também foi roteirista de TV (Amor & Sexo, Adnight, CQC, Furo MTV) e colunista (Folha de S. Paulo).