Na última semana, o presidente Jair Bolsonaro resolveu tomar mais uma medida sobre a comunidade LGBT no Brasil. Desta vez, ele afirmou que filmes com temáticas sobre a diversidade de gênero e sexual não receberão financiamento público pela Ancine.

Após a declaração, o autor Aguinaldo Silva comentou o assunto por meio de uma postagem nas redes sociais, e afirmou que teme tempos difíceis para a comunidade LGBT no país, como foi na época da ditadura militar.

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:

“Pelo andar da carruagem em breve os gays terão que se esconder nos guetos ou fugir da polícia de novo, como acontecia nas décadas de 60/70. Já vou começar a exercitar minhas pernas”, escreveu o novelista.

E completou: “Naquela época, com o Delegado Padilha atrás de mim aos gritos de “viado!”, eu chegava a bater o recorde dos cem metros rasos”, afirmou.

Vale lembrar que, para quem não sabe, durante a época da ditadura, Aguinaldo foi um dos autores do jornal ‘Lampião da Esquina’, primeiro veículo que denunciava crimes contra a comunidade LGBT no Brasil.

VEJA TAMBÉM:  Major gay do exército responde militares homofóbicos que criticaram foto com seu marido