Cardi B teve que voltar a se defender de um áudio vazado gravado em 2016, quando ela brincou que chamaria uma trans para um menage para se vingar de uma traição.

Apesar de já ter pedido desculpas várias vezes e dizer que aprendeu muito com o erro, Bardi teve que enfrentar a acusação de novo e dessa vez perdeu até a paciência.

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:

Em um episódio de “Love, Victor“, nova série da Hulu que trata sobre um adolescente descobrindo a sua sexualidade, a rapper é citada. Um fã fez um comentário sobre isso que chegou até um hater, que disparou: “Isso é doido, considerando se tratar de uma mulher homofóbica e transfóbica”.

A intérprete de “Money” então se defendeu mais uma vez dizendo que as pessoas precisam ver o que realmente é homofobia nas ilhas do caribe.

“Como eu sou homofóbica ou transfóbica? Vá a uma ilha caribenha para realmente ver homofobia! Você já lidou com um pai que não aceita quem você é por causa da sua sexualidade? Eu já disse algumas ignorâncias no meu passado pelas quais pedi desculpas e me eduquei, o que não quer dizer que sou homofóbica”

VEJA TAMBÉM:  JK Rowling tenta se defender de acusações de transfobia, mas emenda sai pior que o soneto

E ela não ficou quietinha não…

“Vocês continuam usando aquele vídeo pelo qual já pedi desculpas várias e várias vezes para me chamar de homofóbica e transfóbica. Mas ninguém fala do meu apoio à comunidade LGBT e os vários e vários tuítes em que ofereci apoio”.

Depois, a artista ainda elencou os motivos quais ela é aliada à comunidade LGBTQ+, dizendo que tem parentes gays e trans e que foi muito difícil para eles se assumirem para sua família, que é dominicana.

“E eu não apoio a comunidade LGBT porque eu tenho ‘fãs gays’, eu apoio por causa dos sentimentos confusos que eu tive crescendo se era normal gostar de garotas? Eu apoio porque eu sei o quão difícil isso foi para meu primo gay se assumir para a minha família dominicana.”

“Eu apoio porque sei a dor de uma prima do lado da minha mãe que é trans e eu tive uma relação fodida com o pai dela por anos! Eu apoio porque eu vi as transições e sentimentos que minha equipe de cabelo e maquiagem teve com os períodos de mudança do corpo e também minha irmã se assumindo lésbica para a minha mãe e meu pai religiosos.”

Para encerrar, Cardi B mandou aquele recado para aquelas que a acusam de preconceito.

VEJA TAMBÉM:  Projeto de Lei transfóbico é posto em pauta por deputado bolsonarista; saiba como votar contra

“Se assumir para minha mãe e meu pai, pessoas religiosas, como gay então antes de fazer ser legal me chamar de homofóbica e transfóbica aprenda o que essas palavras significam e procure sobre meu apoio à comunidade LGBT antes mesmo de vocês, filhos da puta, saberem quem era Cardi.”

 

Avatar
22 anos, geminiano, mineiro, jornalista formado pela UEMG. Apaixonado por música e artes de modo geral. Ex-bailarino na teoria mas danço nas festinhas bastante. Sonho em ser amigo da Rihanna e da família da Beyoncé. Provável futuro ex-bbb e quem sabe vencedor da Fazenda.