O comediante Fábio Porchat revelou durante o programa Conversa com Bial (TV Globo) que sofre com a masculinidade tóxica desde muito novo. Ele contou que, na escola, as crianças o chamavam de gay e que ele demorou para perceber que as pessoas queriam usar o termo para ofendê-lo.

“Sempre sofri muito bullying de ‘viadinho’. Até hoje. Mas, quando você é criança, é a pior coisa que pode acontecer no mundo”, disse. “Depois de adulto, eu entendi que ser chamado de gay não é problema, porque não é problema de caráter. Quando chamam de ladrão, de safado, aí que é problema. Eu era horrível. Lógico que eu era um adolescente racista, homofóbico, machista, contava piadas racistas das piores”, acrescentou o artista.

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:

No programa, Porchat, que já se posicionou sobre a nocividade das piadas LGBTfóbicas, confessou que, provavelmente, já fez piadas machistas no passado. No entanto, garantiu que tem se policiado, já que, hoje, possui uma consciência mais madura sobre o assunto.

VEJA TAMBÉM:  Burguer King pisa em Banco do Brasil e Bolsonaro e convoca negros e LGBTs para nova campanha

“É muito importante que as coisas mudem, que tenha representatividade, que a gente perceba que acabou”, disse. “Sempre fiz todo o tipo de brincadeira, que provavelmente machucou muitas pessoas, como também fui machucado. Mas hoje as coisas estão mudando”, finalizou.