Nesta semana, o vocalista do Coldplay, Chris Martin, deu uma entrevista à Rolling Stone e contou detalhes sobre sua adolescência. Segundo o cantor, ele enfrentou tanto bullying e preconceito que chegou a ser homofóbico.

“Eu também era bastante homofóbico, porque eu pensava, ‘se eu for gay, estou completamente ferrado pela eternidade’, e eu estava meio que descobrindo a minha sexualidade. ‘Talvez eu seja gay, talvez eu seja isso, talvez eu seja aquilo, eu não posso ser isso’, eu ficava aterrorizado”, disse.

E continuou: “Eu estava no internato com um monte de crianças duronas, que me diziam, ‘Você é definitivamente gay’, meio que de uma forma agressiva, e isso foi estranho para mim por alguns anos… E eu não sabia se era, e não podia ser porque achava que era errado. Eu realmente comecei a me preocupar com isso”, afirmou.

De acordo com o astro, aos 15 anos, ele começou questionar sua sexualidade. “Aos 15 anos, eu não sei o que aconteceu, mas eu fiquei, tipo, ‘Sim, e daí?’, e isso passou durante à noite. Foi bem interessante quando eu pensei ‘E daí se eu for gay?'”, explicou o vocalista.

A partir daí, Martin revelou que começou duvidar dos ensinamentos do colégio religioso. “Isso fez eu me perguntar, ‘Ei, essas coisas que estou aprendendo sobre Deus e tudo mais, não tenho certeza se concordo com toda essa religião em particular”, relembrou. “Então, por alguns anos, isso ficou um pouco instável e eventualmente eu pensei, ‘Ok, acho que tenho minha própria relação com o que eu acho que é Deus, e não é realmente uma religião para mim'”, finalizou.

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA: