Como se sabe e pudemos assistir sendo retratado no longa metragem premiado Bohemian Rhapsody, o cantor Freddie Mercury faleceu devido a complicações da AIDS em 24 de novembro de 1991, tendo revelado ao público que tinha o vírus – na época, muito diferente de hoje, uma sentença de morte – apenas alguns dias antes de vir a nos deixar.

Elton John, um dos amigos mais próximos de Mercury, falou sobre seus últimos dias – e um último gesto comovente do cantor do Queen – em seu livro Love is the Cure: On Life, Loss, and the End of AIDS, lançado em 2013 .

Nele, Elton John presta homenagem ao falecido Freddie Mercury e conta que ficou “arrasado” depois que Mercury lhe confessou que tinha AIDS logo após ser diagnosticado em 1987.

“Vi o que a doença havia causado a tantos outros amigos”, escreveu Elton John. “Eu sabia exatamente o que isso faria com Freddie. Como ele sabia. Ele tinha plena ciência que a morte, agonizante, estava chegando”, disse.

Elton, no entanto, deixou claro em seu livro, o quanto Freddie era corajoso enquanto lutava contra o vírus e continuava se apresentando com Queen mesmo assim sem se abater.

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:

Na obra, ele fala sobre como o vocalista do Queen continuava sendo a pessoa “profundamente generosa” que sempre fora, acrescentando que, mesmo nos últimos dias, o líder do Queen “vivia verdadeiramente para os outros”.

Elton também contou como, no primeiro Natal após a morte de Mercury, em 1991, ele abriu a porta de sua casa para encontrar um amigo de Freddie com um presente pra ele, que havia sido comprado pra Elton de presente, mas que infelizmente não foi dado em vida já que faleceu antes, embalado em uma fronha.

“Estava lá aquele homem bonito, morrendo de AIDS, e nos seus últimos dias, de alguma maneira, conseguiu me encontrar um presente de Natal adorável”.

Dentro da fronha havia uma pintura de Henry Scott Tuke – um dos artistas favoritos de Elton John – ao lado de uma nota endereçada a “Sharon” de “Melina”, que eram nomes de drag queen que os dois haviam dado um ao outro anos antes.

“Me peguei aos 44 anos na época, chorando como uma criança”, contou John no trecho comovente do livro: Love is the Cure: On Life, Loss and the End Of AIDS. Lindo, né?

Avatar
Criador Põe na Roda, canal do youtube de humor e informação LGBT desde 2014, com mais de 150 milhões de visualizações e 1 milhão de inscritos. Autor do livro "Um Livro Pra Ser Entendido", que desmistifica questões do mundo gay e sobre ser LGBT para todos os públicos. Também foi roteirista de TV (Amor & Sexo, Adnight, CQC, Furo MTV) e colunista (Folha de S. Paulo).