A apresentadora Ellen DeGeneres falou pela primeira vez sobre um caso de abuso sexual que sofreu quando adolescente. A revelação foi feita durante um episódio da segunda temporada de ‘O Próximo Convidado Dispensa Apresentações com David Letterman’, na Netflix. Na ocasião, Ellen falou sobre o homem “muito mau” que foi casado com sua mãe por muitos anos.

Ela contou que, após o casamento, sua mãe, Betty, foi diagnosticada com câncer de mama e que o seu padrasto usou da situação para abusá-la. “Quando ela [Betty] estava fora da cidade, ele me disse que sentiu um nódulo nos seios dela e precisava sentir os meus seios também, porque ele não queria incomodá-la, mas precisava sentir os meus”, . Logo em seguida, continua dizendo: “Como eu não entendia sobre corpos, eu não sabia que todos os seios eram diferentes e, então, ele me convenceu de que precisava fazer isso. E aí ele tentou de novo e de novo”.

Ellen lembrou que precisou fugir. “Ele tentou derrubar minha porta, aí eu chutei a janela e saí correndo, pois eu sabia ia ter mais coisa. Eu não queria contar pra minha mãe porque eu queria protege-la e isso arruinaria sua felicidade”, explicou.

A apresentadora ainda revelou que se sentiu culpada, assim como acontece com muitas vítimas de abuso sexual. “Eu fiquei brava comigo mesma, porque eu fui muito fraca pra me defender – eu tinha 15 ou 16 anos. É realmente uma história horrível e a única razão pela qual eu estou entrando em detalhes sobre ela é porque eu não quero que outras garotas deixem alguém fazer isso com ela”, frisou.

Hoje, DeGeneres diz que sua opinião mudou e acredita que “nunca deveria ter protegido” sua mãe. “Eu deveria ter protegido a mim mesma. Eu não contei a ela por anos, e aí, quando eu contei, ela não acreditou em mim e continuou com ele [o abusador] por mais 18 anos”. Ela também ressaltou que gostaria que tivessem cuidado melhor dela. “Eu não deixei aquilo me atingir. Até recentemente quando eu pensei ‘Eu gostaria que tivessem cuidado de melhor de mim. Eu gostaria que ela tivesse acreditado em mim’”.

A apresentadora explicou a Letterman o motivo pelo qual decidiu se abrir agora. “Nós [mulheres] apenas não sentimos que somos merecedoras ou temos medo de ter uma voz e ficamos com medo de dizer não. Essa é a única razão pela qual eu acho importante falar sobre isso, porque existem tantas garotas jovens. Quando eu vejo pessoas falando sobre isso, especialmente agora, fico brava quando as vítimas são desacreditadas, pois nós não inventamos essas coisas”, finalizou.