Em entrevista ao HuffPost Brasil, o ator Marco Nanini, que vive um enfermeiro gay no filme Greta, falou sobre as censuras que a comunidade LGBTQ+ do Brasil vem enfrentando por conta do governo Bolsonaro. 

Questionado pelo repórter se as produções cinematográfica e teatrais do país vivem uma “caça às bruxas”, o ator foi direto e pontual.

“Eu acho que sim. Acho que Greta não teria sido feito. E há sim uma caça às bruxas. Com certeza. É uma censura religiosa que sufoca uma parte da população que é impedida de ser representada. Esse negócio de Estado laico, esquece isso. É assustador”, disse ele.

Nanini falou também sobre a inserção da comunidade trans na TV e no cinema. “O cinema também tem poucos atores e atrizes trans, mas, assim como a TV,  está caminhando para que se chegue a um ponto em que não discutiremos se a pessoa é trans, cis ou o que for. Nós vamos chegar lá e o espectador vai entender isso”, garantiu. 

Na ocasião, o eterno Lineu da Grande Família (TV Globo) comentou ainda sobre como se sentiu tendo que gravar uma cena completamente nu. 

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:

“Nunca fiz cena de nu no teatro. Nunca foi necessário aos personagens que eu interpretei. Nunca tive um roteiro em que um personagem fazia uma cena com nudez. Isso foi algo que me encantou no papel do Pedro. Mesmo sendo um homem de 70 anos, o papel pedia que ele tivesse cenas com nudez, e todas muito bem encaixadas. E isso ficou muito fácil, nada difícil. E é bom o publico acompanhar o envelhecimento de um ator. As pessoas já me acompanharam bem jovem, na meia-idade e agora mais velho. Acho legal fazer um personagem com a minha idade. É bonito ver esse processo”, contou o ator. 

Assista ao trailer de Greta: