O RuPaul’s Drag Race abrirá suas portas em futuras temporadas para artistas mais diversos, de acordo com os diretores executivos Fenton Bailey e Randy Barbato. Segundo o Gay Times, embora a série tenha recebido aclamação generalizada ao longo de suas 12 temporadas por catapultar artistas drag para a cultura popular, ela foi criticada nos últimos anos pela falta de talentos diversos (a maioria dos competidores se identifica como gays cisgêneros).

Em uma entrevista ao Digital Spy, os co-fundadores do World of Wonder foram questionados se eles “consideraram incluir drag kings e talentos trans em futuras iterações” da série vencedora do Emmy.

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:

“Sim. Nosso mantra constante é “Carisma, singularidade, nervos e talento”, e isso não exclui ninguém ”, respondeu Bailey. “Quero dizer, obviamente não podemos revelar projeções futuras. Então, até então, isso é tudo o que temos a dizer”.

VEJA TAMBÉM:  Drags Negras de RuPaul fazem vídeo contra racismo, assista

No início deste ano, Bailey confirmou que ele e Barbato estavam trabalhando em sete novas versões internacionais da Drag Race. “Estamos entusiasmados. Nenhum deles pode ser anunciado ainda, mas há mais a caminho. Foi um longo processo. Acho que o que vimos é uma reformulação da drag como um fenômeno cultural / artístico”, disse ele à Variety.

“Cada país tem uma rica tradição de drag, e é diferente uma da outra. O que é verdade em todos os países é que não foi uma proposta para a televisão. Acho que as emissoras de diferentes territórios demoraram um pouco para se ajustar, para reconhecer isso”.

Drag Race pelo mundo

Drag Race UK, a primeira versão internacional do show a ver o retorno de RuPaul e Michelle Visage como juízes principais, foi transmitida mais de dez milhões de vezes no iPlayer da BBC. Bailey credita seu sucesso por abrir a porta para mais spin-offs.

VEJA TAMBÉM:  Sabrina Sato seria winner de vários desafios de Drag Race e essa thread pode provar

“Acho que isso incentivou outros territórios internacionais a virem junto. A BBC está fazendo isso! Não pode ser uma proposição tão assustadora!” ele disse. Desde a estreia do original nos Estados Unidos em 2009, houve spin-offs no Chile, Tailândia, Reino Unido, Canadá e Holanda, com mais a seguir na Austrália.

A segunda temporada da Drag Race no Reino Unido deve ir ao ar em 2021, enquanto os Estados Unidos retornarão para uma 13ª temporada da série regular e uma sexta temporada do All Stars. Até agora, não foi confirmado se The Switch Drag Race, Drag Race Tailândia, Drag Race do Canadá e Drag Race Holland retornarão por mais temporadas.