A versão brasileira do reality da Netflix, The Circle, já é um dos grandes sucessos de audiência da plataforma, entre os 10 programas mais assistidos do serviço de streaming na última semana.

Apresentado por Gianovanna Ewbank, o programa confina em apartamentos individuais vários participantes que só podem se comunicar via uma rede social exclusiva.

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:

Eles criam seus próprios perfis, que podem ser fakes ou reais. E uma das graças de assistir é justamente essa: os participantes não têm ideia se estão falando com alguém que existe de verdade ou não, o que rende situações impagáveis!

Através de provas semanais e testes de popularidade entre os próprios jogadores, a cada episódio, um é eliminado. Ufa! Sabendo como funciona o game, agora bora falar dos participantes?

É de se elogiar no quesito diversidade a escolha do elenco do reality da Netflix. Além de pessoas dentro do padrão de beleza e sexualidade da sociedade, como há em toda produção audiovisual, minorias não são minoria e nem “cota” no The Circle.

VEJA TAMBÉM:  Lúcifer: Tom Ellis aparece por 20 segundos como o diabo gosta: com o bumbum de fora; assista

Pelo contrário, há muitas mulheres, negros, LGBTs, nordestinos… Longe do padrão determinante de outros realities concorrentes.

E quais dos participantes do The Circle são do Vale, afinal? Fique sabendo abaixo:

Dumaresq – Não é exagero considerar Raphael Dumaresq um dos protagonistas do reality desde o primeiro episódio. De personalidade única, o produtor cultural, DJ e performer do Rio Grande do Norte, não passa nem um pouco desapercebido: indiscreto e dentro do meio do jeito que a gente gosta!

View this post on Instagram

4° dia de isolamento social #thecirclebrasil

A post shared by Dumaresq (@raphaeldumaresq) on

Loma – Para jogar no reality, Loma escolheu fazer um perfil fake: o boy hétero padrão Lucas. Na vida e como aparece pra nós espectadores, Loma é uma garota lésbica e sem papas na língua, que chega, com seu perfil de garoto no jogo, a seduzir uma participante, que jura que ele é um perfil real… Imagina quando acontece a descoberta do perfil fake a decepção? Sim, porque em The Circle, a cada eliminação, o jogador pode se encontrar em carne e osso com um dos que permaneceram no jogo em uma situação, muitas vezes, embaraçosa. Sem mais spoilers!

VEJA TAMBÉM:  Family Guy terá menos piadas homofóbicas, dizem criadores

Lorayne – Também bisexual, a garota Lorayne, ou Lora, como é chamada pelos participantes do reality, é cheia de personalidade, não esconde que está lá pra jogar, apesar de fazer amizades e alianças verdadeiras e é muito mais desconstruída do que aparenta na sua foto de perfil no jogo (e na vida!).

Lucas e Marcel – Os dois estão juntos confinados competindo como um único jogador. No The Circle, eles criaram o perfil da garota Luma, que seduz vários dos marmanjos que não fazem ideia que se tratam de dois irmãos gêmeos e gays na realidade.

VEJA TAMBÉM:  Tan France do Queer Eye e Alexa Chung comandam reality de moda da Netflix

Raf – Assim como Lucas e Marcel, ele chega com o jogo começado (tal qual o BBB com a casa de vidro, alguns participantes no The Circle também surgem com jogo em andamento). Raf também constrói um perfil fake pra interagir com os outros jogadores: uma mulher feminista, gorda, tatuada, toda da vibe #BodyPositive.

Sincero até demais, Raf não faz tanta questão de ser simpático e amigável com os outros participantes. E talvez seja exatamente esse o motivo que torna sua presença no jogo, única e até necessária. Raf acaba sendo hilário em vários momentos. Em muitos, até mais do que a personagem que inventou para o jogo!

Avatar
Criador Põe na Roda, canal do youtube de humor e informação LGBT desde 2014, com mais de 150 milhões de visualizações e 1 milhão de inscritos. Autor do livro "Um Livro Pra Ser Entendido", que desmistifica questões do mundo gay e sobre ser LGBT para todos os públicos. Também foi roteirista de TV (Amor & Sexo, Adnight, CQC, Furo MTV) e colunista (Folha de S. Paulo).