Em nova entrevista com a Pride Source, a cantora Cher, que tem 72 anos e quase seis décadas de sucesso no mundo da música e do cinema, falou sobre sua carreira e também sua eterna identidade com o público LGBT, que vem muito antes da fama ou mesmo pelo fato de hoje ser mãe de um homem transexual.

“Sempre tive amigos gays. Na realidade já fui quase presa em uma festa com meu melhor amigo na escola. Ele era gay, mas ninguém podia saber. Fomos juntos a uma festa que foi invadida (em um tempo onde era crime ser gay). Fugimos juntos pulando pela janela do banheiro. Foi alto! Tivemos que subir na banheira e pular da janela pra fora!”, disse ela.

A cantora também afirmou que se inspira em seus fãs gays quando passa por dificuldades na vida: “Sempre que estive triste, com coração partido, sempre me enche de esperança ver tantas pessoas fortes que acham que você vale a pena e te dão tanto valor!”.

Refletindo sobre sua amizade com o famoso maquiador e amigo Kevyn Aucoin, que faleceu em 2002, Cher revelou: “Ele me disse que quando era jovem, estava crescendo em algum lugar na Louisiana e falou sobre o como era horrível ter que se esconder e viver com medo. Ele disse que adorava ouvir os discos da Cher na época e isso o ajudava a passar por tudo isso…. Aliás este é um conselho importante! Haha! Se você não quer se assumir, não compre discos da Cher!”.

A atriz, que recentemente brilhou na sequência do longa Mamma Mia! ao lado de Meryl Streep, também tem sido uma crítica aberta ao presidente americano Donald Trump.

Embora ela tenha dúvidas de que ele será cassado, ela disse que já tem uma roupa em mente se a ocasião surgir: “Eu acho que vou usar um vestido de noiva branco e um véu”.

Leia a entrevista completa da PrideSource com Cher aqui.

Assista também:

Criador Põe na Roda, canal do youtube de humor e informação LGBT desde 2014, com mais de 100 milhões de visualizações e 800 mil inscritos. Autor do livro "Um Livro Pra Ser Entendido", que desmistifica questões do mundo gay e sobre ser LGBT para todos os públicos. Também foi roteirista de TV (Amor & Sexo, Adnight, CQC, Furo MTV) e colunista (Folha de S. Paulo).