Britney Spears reconheceu publicamente o recente documentário produzido pelo New York Times, Framing Britney Spears. O filme estreou na FX em 5 de fevereiro e agora está sendo transmitido no Hulu. Foi um olhar simpático para a carreira de Spears, seus desafios de saúde mental, como ela foi retratada na mídia e perseguida pelos paparazzi.

O doc também explorou sua ordem de tutela legal em andamento, que permite que outras pessoas, incluindo seu pai, tomem decisões importantes sobre sua vida e finanças, sendo o filme amplamente elogiado por muitos de seus fãs. Isso também levou o ex-namorado, Justin Timberlake, a apresentar um pedido de desculpas por parte de seu comportamento com ela durante o relacionamento e após a separação.

Spears, 39, não havia mencionado o documentário diretamente em suas redes sociais até ontem, quando postou dois vídeos dela mesma dançando ao som de uma música do Aerosmith. Ela legendou um com uma mensagem dizendo que dançar trouxe sua alegria e mencionou sua reação ao documentário.

“Minha vida sempre foi muito especulada, assistida e julgada muito!!! Para minha sanidade, preciso dançar @iamstevent [Steven Tyler] todas as noites da minha vida para me sentir selvagem, humana e viva!”, disse a princesinha na legenda.

“Eu fui exposta a minha vida inteira me apresentando na frente das pessoas!! É preciso muita força para CONFIAR no universo com sua verdadeira vulnerabilidade, porque eu sempre fui tão julgada, insultada e envergonhada pela mídia e ainda sou até hoje! Enquanto o mundo continua girando e a vida continua, continuamos tão frágeis e sensíveis como as pessoas”.

“Não assisti ao documentário, mas pelo que vi fiquei envergonhada com a luz que me colocaram, chorei por duas semanas e bem, eu ainda choro às vezes. Eu faço o que posso na minha espiritualidade comigo mesmo para tentar manter minha própria alegria, amor e felicidade! Todo dia dançar me traz alegria! Não estou aqui para ser perfeita, ser perfeita é chato, estou aqui para transmitir gentileza!”.

Britney Spears fala sobre a vida atrás das lentes

Segundo o Queerty, poucos dias depois de o documentário ter sido exibido pela primeira vez, Spears disse em 10 de fevereiro, sem mencionar explicitamente: “Cada pessoa tem sua história e sua opinião sobre as histórias de outras pessoas !!!! Todos nós temos tantas vidas lindas e diferentes !!! Lembre-se, não importa o que pensemos que sabemos sobre a vida de uma pessoa, não é nada comparado com a pessoa real que vive atrás das lentes!”

A diretora de Framing Britney Spears, Samantha Stark, disse ao Hollywood Reporter em fevereiro que fazer o filme sem a participação de Spears influenciou sua abordagem: “É muito difícil como jornalista eticamente tentar fazer um artigo sobre alguém que não está participando. Isso realmente me incomodou, e uma coisa que realmente queríamos fazer era ter certeza de que nunca estaríamos presumindo o que estava dentro da cabeça de Britney em qualquer de nossas reportagens ou entrevistas ou conversas com as pessoas”.