Jonathan Bailey, um dos protagonistas da série “Bridgerton“, produção que está disponível na Netflix, comentou abertamente sobre ser gay na indústria audiovisual.

Eu acho que não deveria importar o personagem que as pessoas interpretam, mas é claro que há uma narrativa que é muito clara, que homens abertamente gays não estão interpretando os papéis principais”, desabafou o ator ao Digital Spy.

No seriado, o personagem de Bailey é um dos principais da trama, sendo o irmão mais velho da protagonista, vivida por Phoebe Dyvenor. “E também, há uma razão pela qual os personagens gays são tão interessantes. Porque assim como as mulheres em Bridgerton, há muitos obstáculos e há muito crescimento pessoal, e há uma verdadeira força para os gays.” disso ele ao basear a condição de homossexuais na época em que a produção se passa.

“Então, o fato de muitos homens heterossexuais terem desempenhado papéis gays icônicos e serem elogiados por isso é fantástico, que essa história esteja sendo contada. Mas não seria brilhante ver homens gays jogarem sua própria experiência?”.

Ator de Bridgerton foi orientado a não sair do armário

Em entrevista para a revista Attitude, Bailey, que interpreta Anthony Bridgerton na produção, ainda revelou que foi orientado a permanecer no armário para conseguir trabalhos como ator. “As conversas mais conservadoras que tive sobre ser honesto sobre a minha sexualidade nos dias de hoje vieram de gays da indústria: ‘Oh, não, você não pode assumir. Você realmente não deveria fazer isso”, disse ele.

“Há uma sensação de vergonha, eu acho, que é palpável entre os gays dentro da indústria. Mas também há essa compreensão heteronormativa e heterossexual da sexualidade.”, expressou sua opinião sobre o assunto.

Carioca, antenado e intenso. Redator do Põe na Roda e Produtor Digital da Rádio Rio de Janeiro. Amante das artes, desde as cênicas até a fotografia. Taurino com 21 anos, apreciador raiz da cultura pop e um jornalista em construção.