Desde que o Brasil regrediu até 1964 com o atual governo, uma onda de conservadorismo e pensamentos retrógrados tem aflorado cada vez mais e isso tem se reflete no fato de que um suposto ato de censura estaria ocorrendo ao filme Boy Erased, que deveria ter estreado no último dia 31.

A obra, que traz Nicole Kidman, Russell Crowe e Troye Sivan no elenco, não vai mais ser exibida nos cinemas brasileiros. Segundo o Twitter da Universal Pictures infelizmente esse filme não será mais lançado aqui no Brasil.

Boy Erased: Uma Verdade Anulada, indicado a dois Globos de Ouro, faz uma crítica à chamada cura gay. Na história, o filho de um pastor batista é forçado pelos pais a participar de um programa de conversão sexual para se enquadrar no padrão heterossexual.

E isso existe de verdade nos Estados Unidos: cerca de 77 mil pessoas estão submetidas – atualmente – a “terapias de conversão” no país. Aqui no Brasil, a terapia – que contraria a Organização Mundial da Saúde (OMS) – ainda é ilegal, mas o Ministério Público Federal (MPF) cogita autorizá-la.

O ativista dos direitos LGBT nos Estados Unidos, Mathew Shurka, disse que recebeu relatos no Twitter de que o filme foi censurado por causa do novo governo brasileiro.



Aproveite e assista:



Já a Universal Pictures disse ao site CinePOP que a decisão de cancelar o lançamento nos cinemas foi estritamente comercial. Lançado no dia 2 de Novembro nos Estados Unidos, o filme arrecadou US$ 6,7 milhões nas bilheterias, o que afetou o lançamento em outros países devido ao alto investimento em marketing versus retorno nas bilheterias.

E os produtores esperavam que o filme conquistasse indicações no Oscar 2019, com as elogiadas atuações de Nicole Kidman e Lucas Hedges, o que não aconteceu. Como as indicações poderiam impulsionar as bilheterias, este se tornou mais um fator para explicar o cancelamento do filme no Brasil e outros mercados internacionais. Segundo a Universal, o lançamento acontecerá direto em Home Video, com data a ser divulgada.